Vinho argentino, carbenet sauvignon, encorpado e sem adstringencia considerável. 14% de álcool. Safra 2007. Vinicola Valentin.



Novamente minha noiva aprovou, este vinho merece destaque; R$ 14,90 no Imperatriz. Deve ser servido ao redor de 25oC, pois levemente refrigerado se perdeu totalmente.

- Posted using BlogPress from my iPhone

Santa Sara! Até minha noiva gostou deste vinho, a Ká simplesmente pediu mais uma mais uma taça, e mais outra taça! E não foi que ela até começou a reparar nos rótulos de vinhos quando vamos aos supermercados?


Um corte de mesa Castelão composto de uvas Aragonez, Syrah, Alicante, Bouschet, Touriga Franca, Trincadeira. Muito interessante para um combate ou nos pratos do cotidiano. 13% de álcool, fundo de frutas vermelhas. Aconselho! R$ 12,90 no Imperatriz de Jurerê Internacional em Florianópolis.

Vinho Joaquim. Corte de Carbenet Sauvignon e Merlot. Safra 2005. Da região de São Joaquim, interior de Santa Catarina.




Forte, com 13,60% de álcool. Percebe-se a forte madeira de fundo, pouca adstringência, caiu muito bem como entrada para costelad suínas e bifes de contra-filé, ambos preparados na churrasqueira. Custa em torno de R$ 80 reais no varejo.

- Posted using BlogPress from my iPhone



Aqui do lado em Blumenau ocorreu uma batalha de aprendizes de Titãs: um concurso de mestres cervejeiros. Meu amigo o Guga, vulgo Diogo e seu irmão Daniel Ropelato participaram da batalha de degustações onde 19 jurados provaram e aprovaram as receitas. O concurso Mestre Cervejeiro da Eisenbahn, controlada pelo grupo Schincariol, está em sua 3a edição e tem levado inovações à tradicional indústria cervejeira nacional.

No Brasil a hegemonia das Pilsen é um fato, mas ao pouco pequenos empreendedores têm obtido sucesso aprimorando o paladar nacional e trazendo diferentes tipos de cerveja ao consumidor. A Dado Bier de Porto Alegre no Rio Grande do Sul foi segundo os conhecidos do assunto a primeira a inovar no Brasil com a cerveja artesanal. Pouco tempo depois surgiu a Eisenbahn em nossa Blumenau, mas que partiu direto para o varejo e deu muito certo. Depois disso, os aprendizes de cervejeiros arregaçaram as mangas e prepararam suas bebidas, e aqui estamos com o mercado se aprimorando e meu amigo com o seu irmão levando o 1o lugar catarinense! (Foi o 2o do Ranking, mas isso os amigos do lado de lá que exaltem em suas matérias!)


Nosso Catarinense de Gaspar, Daniel Ropelato alcançou 76,7 pontos na avaliação dos 19 jurados da Eisenbahn no concurso Mestre Cervejeiro 3a Edição. Trabalhou em conjunto com seu irmão no início, e cada um seguiu um caminho, mas apenas o Daniel ficou entre os finalistas. Guga meu velho, quero ver aqui qual das duas é melhor! To esperando a cerva da família Ropelato para provar! 

Para Saber Mais >>