Sexta-feira tipicamente espanhola!

Tenho um vizinho que é espanhol da gema. Cara gente boa mesmo. E como todo bom espanhol, o consumo do vinho está no dia-a-dia, sempre acompanhado de boas tapas.

Pois então, o Fernando retornou de Madrid após uma semana de muito trabalho, segundo ele, com a bagagem carregada de bons vinhos e boas comidas. Fomos conferir e, para ajudá-lo nesta difícil tarefa, eu e minha mulher fomos destacados por ele e sua esposa Eline a iniciar a operação "desmancha mala".

Vamos aos fatos. Fernando nos apresentou um rótulo nesta noite: Altos de Tamaron, Crianza 2007, da região de Ribera del Duero.
Uma das grandes regiões de denominação espanholas, porém pouco conhecida e divulgada.

Para acompanhar esta fascinante viagem a esta região espanhola, ele ainda nos deliciou com um legítimo queijo branco semi-curado e o tradicional jamón pata negra. Todos vindos direto de Madrid.

Vale saber mais a respeito desta região da Espanha.

Ribera del Duero é uma região produtora qualitativamente importante, situada num planalto ao norte de Madrid, em Castilla-Leon, disputando hoje a hegemonia dos vinhos tintos espanhóis com a região da Rioja. Esta região se estende através do largo vale do rio Duero,conhecido como Douro em Portugal, a leste da cidade de Valladolid.


O título de DO - Denominación de Origen veio apenas em 1982. Mas as Bodegas Vega-Sicilia, na margem oeste da apelação, tem produzido um dos melhores vinhos espanhóis desde o último século. Por cem anos ou mais a Vega-Sicilia permaneceu sozinha nas margens do Duero.
O potencial da região foi reconhecido por Alejandro Fernandez, que teve papel destacado no considerável desenvolvimento alcançado durante a década de 1980, produzindo vinhos ao estilo internacional, de cor profunda, com grande concentração de frutas maduras e taninos, diferentes dos vinhos da Rioja.
Com o sucesso de seu vinho Pesquera, Alejandro estimulou outros produtores da região, que anteriormente vendiam suas uvas para para cooperativas, a vinificar e vender seus próprios vinhos, dando origem a uma nova e promissora região produtora de vinhos finos.

Altos de Tamaron, Crianza 2007, da região de Ribera del Duero.

Ao abrirmos a garrafa já foi possível perceber que os aromas tomaram conta do ambiente. Vinho com um floral marcante. No copo, apresentou-se com cor graná intensa e espessa e, a medida que o vinho respirava e se aproximava da temperatura ideial, percebeu-se odores amaderados intensos, com chocolate e castanhas tostadas.


Na boca, um vinho estruturado, com taninos marcantes. Foi possível perceber como este espanhol é diferenciado. A acidez, normalmente distante dos vinhos deste país, apresentou-se, harmonizando perfeitamente com as tapas.

Muito bom mesmo. Indico.
Não localizei, em pesquisa pela internet, este vinho no Brasil. Quem tiver por lá, vale a pena buscar o rótulo. Por volta de 10 euros nos supermercados de Madrid.

Boa semana e bons vinhos!!

Fonte: http://www.abs-sp.com.br
.