Meu primeiro Bacalhau a Gomes de Sá foi um sucesso na Páscoa! Compartilho a receita abrasileirada e os vinhos que acompanharam nossa refeição!

Começando pelo vinho. Bem, aqui em casa temos uma grande preferência pelos tintos, e foram eles, juntamente com espumantes que nos acompanharam toda a noite!


Iniciamos com o Espumante Brut Gran Legado, da serra gaúcha em Garibaldi. Com as uvas Chardonnay, Riesling e Merlot, cae muito bem, começa levemente ácida e depois fica redonda... Acompanha toda a noite, basta ter bem gelada que é um perigo! Por aqui que minha esposa, Ká e minha mãe Isaura começaram.


Acompanhando, tivemos um Cabernet Sauvignon Australiano Taylors, do Clare Valle - safra 2007. Carvalho muito bem apresentado, taninos sob controle e com um buquê de frutas vermelhas. Um presente do meu cunhado David para meu sogro, este último o idealizador da noite, Átila Ramos, que apreciou conosco este vinho.


O final veio com um Merlot da Patagônia Argentina, arrebatador. O Finca Azul vem de Neuquén, apresenta um buquê complexo, com taninos mais fortes e um fundo de especiarias fortes. Um vinho mais "porrada", indico para um combate. 14% de álcool mas sem apresentar vestígios gritantes dele. Segundo a Ká, é o seu tinto predileto, colocando o Santa Sara (publicado anteriormente) em segundo lugar.

Vamos agora falar do Bacalhau a Gomes de Sá! A receita eu busquei da internet, mas verifiquei que todos copiaram de todos, o que torna difícil identificar a origem da publicação... Mas para não decepcionar, realizei uma pesquisa mais ampliada e cheguei até fontes mais confiáveis, pois meu maior temor era o Sal! Constatei que todos os copiadores de receitas não publicaram o mais importente, o Dessalgar do Bacalhau.

Receita básica do Bacalhau Gomes de Sá:

Ingredientes originais:

500 g de bacalhau
500 g de batatas
2 cebolas
1 dente de alho
1 folha de louro
2 ovos cozidos
1/5 de azeite
Azeitonas pretas
Salsa
Sal
Pimenta

Ingredientes adicionais:

1 pimentão amarelo (cortado em cubos pequenos)
3 tomates bem maduros
Pimenta do Reino
1Kg de Bacalhau do Porto
(todo resto igual)

Para o preparo, segui o site www.bacalhau.com.br. Lá existem dicas de várias receitas e tudo sobre o Bacalhau, inclusive curiosidades sobre os "pescados" usados para o mesmo...


- Posted using BlogPress from my iPad
Direto do Chile, aí vamos nós.

Estando no Chile nao tem como deixar de degustar ótimos rótulos e adquirir várias garrafas. Em nosso primeiro dia por aqui fomos almoçar em um lugar muito bacana chamado Como Água para Chocolate, no bairro de Bella Vista. Para acompanhar as excelentes pedidas que fizemos (Congrio ao Molho de Espinafre e Corvina do Chef) optamos pelo Castillo de Molina Reserva, Cabernet Sauvignon 2008, que não poderia ter sido melhor.



No copo, um vinho denso e bem escuro. Rapidamente, aromas adocicados foram percebido, puxando para o coco e caramelo, juntamente com as frutas vermelhas. Na boca, um vinho bem estruturado, com acidez controlada e, mais uma vez os aromas adocicados se acentuaram, somando-se melaço e fumo. Não percebemos o teor alcoólico de 14,5%. Residual e taninos médios, com leves toques de carvalho.


Para quem encontrar em qualquer lugar no Brasil, uma excelente escolha. Para quem vier ao Chile, uma oportunidade também de levar umas para casa na volta.

Em qualquer supermercado de Santiago por aproximadamente $ 4.000,00, ou R$ 12,00.

Abraços, boa semana e bons vinhos.

Convidamos nossos leitores a visitarem a mostra de produtos e prova de vinhos portugueses nesta sexta-feira dia 29 de Abril. A Prova de Vinhos ocorrerá entre as 15h e as 19h no Hotel Sofitel, na Av. Beira-Mar Norte. O evento é organizado pela AEP- Associação Empresarial de Portugal.

Contamos com a visita de todos vocês!

Atenciosamente, a Bebideria!



Alto las Hormigas Reserva Malbec 2006


Assim que inicei a leitura do livro 1001 vinhos para beber antes de morrer - vide meu primeiro post - me deparei com este curioso rótulo argentino.

Alto Las Hormigas Reserva Malbec 2002

O nome curioso vem do início da vinícola em 1995 quando as primeiras videiras plantadas foram imediatamente atacadas por formigas (hormigas).

Inicei então a procura por este vinho e como não encontrei a safra de 2002, comprei a de 2006, que recebeu nada menos que 92 pontos pela Wine Spectator e foi indicada na lista dos 100 melhores vinhos do mundo.

De cor quase negra – a coloração é bastante densa – a presença de frutas vermelhas e negras é evidente desde o aroma, confirmadas na degustação, onde o sabor amadeirado também é bem marcante.

É um vinho concentrado e potente, com uma acidez exagerada, talvez devesse esperar um pouco mais para prová-lo.

Longe de mim questionar os critérios de avaliação e pontuação da lista “the best of the best”, mas, para meu modesto paladar, o rótulo ficou bem abaixo de minha expectativa, principalmente pelo custo. Tudo bem, no final o saldo é positivo: sinal que não morro tão cedo, afinal, a safra de 2002 é que seria a derradeira! Vida longa e bons vinhos nesta Páscoa!

À venda em São Paulo na Mistral por R$82,42

Comemore o Dia Internacional do Malbec com preços abaixo de R$ 25. Aqui perto de casa, tanto a minha residência, como o nosso país, os Argentinos oferecem um ótimo custo x qualidade! Confiram e deixem seus comentários!






























Trivento, Angaro, Vinas de Barrancas e Benjamin. Cortes ou Reservas de Malbec Argentinos abaixo de R$ 25,00 nos supermercados da região de Floripa!

- Posted using BlogPress from my iPhone



Ninguém gosta de jogar dinheiro fora, mas talvez a grande maioria esteja jogando as verdinhas no ralo, quando o assunto é a compra de vinhos. Segundo estudo da Universidade de Hertfordshire, algumas pessoas podem estar pagando apenas pelo rótulo pois não conseguem distinguir as sutilezas da garrafa.
Foi realizado um experimento com 578 pessoas, onde as pessoas realizavam a técnica de degustação às cegas, onde a pessoa experimenta diferentes vinhos e deve apontar sua preferência sem o auxílio de qualquer informação de safra, uva, região, teor ou rótulo. O resultado é que só a metade das pessoas soube identificar quais vinhos eram mais caros e quais eram mais baratos!
A faixa de preço nos vinhos tintos e brancos degustados foi de: até R$ 13,00, entre R$ 26,00 e R$ 78,00. Foi realizado ainda uma degustação de garrafas de espumantes, a faixa de preços foi R$ 44,00 e R$ 78.
Aqui no Brasil, imagino que teríamos um resultado semelhante ou onde a maioria não saberia distinguir o que é barato e o que é caro. Mas temos ainda o agravante que um vinho Europeu de 15,00 Euros não sai por menos de R$ 70,00 a garrafa. Já trouxe vinhos Espanhóis, Alemães, Portugueses e Italianos da Europa, e os mesmos saíam sempre na faixa de 3 ou 4 vezes mais. O que leva à seguinte pergunta; como seria um testes destes por aqui?
Se você acha que bons vinhos não são necessariamente caros, não perca esta outra matéria: Não Beba Rótulos!

Para os que gostam de objetos diferenciados e inusitados, apresentamos as taças "7 Pecados Capitais" que beiram a arte. Estas taças pós-modernas são produzidas a mão em edição limitada de 100 conjuntos. O preço? Apenas realizando o pedido no site!

Abaixo os pecados capitais!

Avareza

Gula

Inveja

Ira

Luxúria

Vaidade

Preguiça

Os 7 pecados capitais em uma caixa!

Design by: Kacper Hamilton
À Venda: Generate LE*: Website



Esta vinícola está realmente surpreendendo, tanto pela qualidade, variedade quanto pelos preços! Este corte de Bobal e Syrah, safra 2009, da região de Valência vale a garrafa!

Tons de frutas escuras, amoras e franboesas sobresaem no paladar. No fundo uma leve madeira com taninos bem controlados!

Comprado no Angeloni de Florianópolis. R$ 19,90.


- Posted using BlogPress from my iPhone
Como postado em oportunidade anterior, tive uma experiência desagradável com um Pinot Noir da Bodega Del Fin del Mundo.
Fiquei de degustar novos rótulos para tirar esta impressão pois, ouço muitos comentários positivos sobre esta uva e precisava encarar outras experiências para mudar minha opinião.
Não precisou de muito para me convencer.

Estivemos este final de semana na casa da minha amiga chef Paula, com seu marido Bernardo, para nos re-encontrarmos depois de um longo período, para colocar a conversa em dia e degustar bons vinhos, e claro, acompanhando de um excelente risoto de tomate seco.

Levei um Casas Patronales Reserva Privada Cabernet Sauvignon 2007, o qual já havia degustado com meu parceiro Gustavo aqui em Brasília. Ele já postou sobre ele em 10 de dezembro passado. Vale conferir.

Sobre o Casas Patronales tenho a acrescentar que ainda não achei em Brasília, mas assim que encontrar farei uma reserva pessoal do mesmo porque realmente é um vinho primordial.

Ao finalizar este delicioso chileno, o Bernardo nos ofertou uma preciosidade chilena.

Tabali, Reserva Especial, Pinot Noir 2007.


No copo, um Vinho pouco denso, porém extremamente perfumado. Possível perceber algo rústico e complexo.
Na boca, um vinho equilibrado. Com aromas de cereja e castanhas. Com retrogosto pouco intenso e amargor ao final. Como não foi utilizado decanter, o vinho foi melhorando com o passar do tempo.


Já estávamos à mesa e harmanizou muito bem com o risoto de tomate seco. Bem diferente do que estou acostumado, mas me agradou bastante. Acho que ainda é necessário que eu tenha um paladar mais preparado para esta uva.

Uma ótima pedida para quem gosta de experiências diferentes. Este vinho foi comprado na Grand Cru, no valor de R$ 76,00.

Infelizmente precisei buscar imagens na internet pois estava sem uma máquina fotográfica.

Boa semana e bons vinhos!
Excelente descoberta vinda da minha sogra. Este chileno apresenta excelente custo X benefício, por volta de R$ 45,00.

No copo, denso e oleoso. Perfumado, percebendo-se suavemente o amadeirado, café, fumo e vegetais frescos. Na boca, o carvalho se sobresai, mas vem acompanhando de sabores amendoados e adocicados, de frutas tropicais.



Apesar do alcool ser de 14%, é muito equilibrado e o rótulo e bem bacana.

Acompanhou perfeitamente a massa ao sugo que devoramos.

Boa semana e bons vinhos!!



Dificilmente aprovo vinhos Brasileiros incondicionalmente. Mas este merece minhas honras! Extremamente aromático, leve e com a suavidade no ponto. De bouque floral e paladar frutado é ideal para ser apreciados em festas e encontros! Saúde!

Graduação de 11,5% de álcool, deve ser servido frio, entre 8 e 10 graus Célcius. Safra 2007 de Campanha do Livramento.

- Posted using BlogPress from my iPhone



Excelente vinho de mesa Português! Encorpado mas com taninos e acidez bem controlados, embora seja ainda levemente adstringente e indicado para acompanhar pratos com carnes vermelhas, ou massas à bolonhesa (como fiz). O aroma é complexo mesmo para um vinho de mesa, com fundos de especiarias.

Vale o vinho, ainda mais que o preço caiu de R$ 29,90 para R$ 11,60! Na rede Imperatriz de Florianópolis.

- Posted using BlogPress from my iPhone
Fim de semana movimentado.
Tivemos o prazer de receber nossos amigos, por coincidência, Rodrigo e Fernanda (estes são de Brasília) para um excelente bate-papo e ótimos petiscos.
Com isso, os vinhos não podiam ficar atrás. Miramos em alguns dos meus franceses e fomos com tudo.

Iniciamos pelo Barón de Rais, Bordeaux Réserve 2009,da casa La Chapelle Heulin.


Como a maioria dos Bordeaux, este rótulo carrega os aromas da região. Perfumado, percebendo-se frutas vermelhas e flores do campo. Na boca, ligeiramente salgado, com tóneis de carvalho tostados pouco intensos. Equilibrado, mas nada surpreendente. Retrogosto pouco carregado. Esperávamos um pouco mais dele.


Depois, como a conversa estava boa, continuamos a apreciação. Apesar de ainda ter mais um exemplar do Barón, preferimos abrir outro para comparamos.

Fomos para o François Delaville, Bordeaux 2009, casa Castel Frères Vignobles et Châteaux. Composto por 10% de Cabernet Franc, 40% de Merlot e 50% de Cabernet Sauvigon.

Este sim nos impressionou. Bem mais complexo e estruturado que o anterior, este francês tomou conta do ambiente. Extremamente perfumado, notando-se intensamente frutas vermelhas, aromas de charuto e café. Na boca, muito equilibrado, notando-se ainda mais intensamente as frutas, o fumo e o café. Adocicado e bem residual na garganta.

Foi eleito o vinho da noite.

Ambos têm ótimo custo X benefício, sendo adquiridos na Distribuidora Albatroz, Brasília.

Barón de Rais, Bordeaux Réserve 2009 - R$ 27,00
François Delaville, Bordeaux 2009 - R$ 19,00

Boa semana a todos e bons vinhos!