Redenção!!

Como postado em oportunidade anterior, tive uma experiência desagradável com um Pinot Noir da Bodega Del Fin del Mundo.
Fiquei de degustar novos rótulos para tirar esta impressão pois, ouço muitos comentários positivos sobre esta uva e precisava encarar outras experiências para mudar minha opinião.
Não precisou de muito para me convencer.

Estivemos este final de semana na casa da minha amiga chef Paula, com seu marido Bernardo, para nos re-encontrarmos depois de um longo período, para colocar a conversa em dia e degustar bons vinhos, e claro, acompanhando de um excelente risoto de tomate seco.

Levei um Casas Patronales Reserva Privada Cabernet Sauvignon 2007, o qual já havia degustado com meu parceiro Gustavo aqui em Brasília. Ele já postou sobre ele em 10 de dezembro passado. Vale conferir.

Sobre o Casas Patronales tenho a acrescentar que ainda não achei em Brasília, mas assim que encontrar farei uma reserva pessoal do mesmo porque realmente é um vinho primordial.

Ao finalizar este delicioso chileno, o Bernardo nos ofertou uma preciosidade chilena.

Tabali, Reserva Especial, Pinot Noir 2007.


No copo, um Vinho pouco denso, porém extremamente perfumado. Possível perceber algo rústico e complexo.
Na boca, um vinho equilibrado. Com aromas de cereja e castanhas. Com retrogosto pouco intenso e amargor ao final. Como não foi utilizado decanter, o vinho foi melhorando com o passar do tempo.


Já estávamos à mesa e harmanizou muito bem com o risoto de tomate seco. Bem diferente do que estou acostumado, mas me agradou bastante. Acho que ainda é necessário que eu tenha um paladar mais preparado para esta uva.

Uma ótima pedida para quem gosta de experiências diferentes. Este vinho foi comprado na Grand Cru, no valor de R$ 76,00.

Infelizmente precisei buscar imagens na internet pois estava sem uma máquina fotográfica.

Boa semana e bons vinhos!
.