Nesta sexta nosso amigo Júlio preparou um prato Lajeano, muito apreciado aqui pelas nossas terras no inverno, o Entreveiro. Um preparado com pinhão, picadinho de alcatra, filé suíno, linguiça calabresa, alguns vegetais e temperos! É da hora para armonizar com um vinho "porrada", pena que na Festa do Pinhão só vendam cerveja simples e quentão feito com vinhos duvidosos!

E assim foi o trabalho do dia: na abertura dos serviços um Vinho do Porto, seguindo com tintos Chilenos e um Espanhol para concretizar o evento.




O Vinho do Porto foi um amabilíssimo Quinta Santa Eufêmia, muito tradicional e sem muito álcool ou maiores requintes. Esta é a humilde opinião de quem mantém certa distância dos Portos. Qual a sua opinião?




O primeiro de vários Chilenos foi o conhecido Consecha Tarapaca da uva Cabernet Sauvignon, safra 2010. Tradicional Chileno, bem constante no sabor e com boa qualidade x custo.




O fechamento veio com o Marques Del Turia, Espanhol potente no sabor, e bem complexo, mas até suave no álcool para a combinação da tradicional Syrah com Bobal. Pouca madeira, sob controle, para não sobrescrever o corte.


Inclusive, diz o Júlio, que o Shoyo faz parte da receita, será? Outra que não quer calar: o mesmo Júlio disse que Arroz não é bom para acompanhar, já que o Pinhão é carboidrato puro! Mas segunda sua esposa, ele caiu o Arroz! De olho!


- Posted using BlogPress from my iPad



Incrível potência do Malbec com controlado sabor de Carvalho ao fundo. Um vinho "combate" a preço muito baixo! R$ 14,00 em Florianópolis. Região de Mendoza na Argentina. Recomendo!

- Posted using BlogPress from my iPhone
Em mais uma noite excelente, encontramos nossos vizinhos Fernando (O espanhol) e Eline, para um bom bate-papo, jantar e degustarmos bons vinhos.

Como o Fernando pouco degustou vinhos de outros países, aproveitamos a deixa para apresentá-lo. E como não poderia ser diferente, os rótulos superaram as expectativas.

Prato da noite: Espagueti ao sugo

Iniciamos, para abrir o apetite e soltar as línguas, com o chileno Viu Manent Estate Collection Cabernet Sauvignon Reserva 2009.


Tradicional vinã chilena, este Viu Manent apareceu a pouco nos supermercados de Brasília. E com excelente custo X benefício.



No copo, pouco denso, vinho escuro violáceo e aromático. Floral, percebendo-se intensamente rosas, e frutado, framboesa, morango e amora, são facilmente percebidas.
Na boca, percebe-se com maior intensidade as frutas, levemente amendoado e aveludado. Pouco adstringente, mas redondo e longo.

Excelente entrada.

Harmonizou muito bem com a massa.

Depois, fomas agraciado com espanhol branco, Viña Tenencia, Vendemia Seleccionada, D.O. Ribeiro, 2006. E como sempre, o Fernando nos surpreende.

No copo, um vinho dourado escuro, límpido. Aromas primários de uvas frescas e terra molhada.
Na boca, um vinho equilibrado, notando-se, para nossa surpresa, a presença de minerais. Várias frutas tropicais foram também percebidas, tendo a banana predominado.

Toques caramelizados estavam por lá, sendo o melaço muito predominante. Um vinho bem interessante e de personalidade.

Eleito o vinho da noite.

Em Brasília, o Viu Manent foi encontrado no Big BOx por R$ 24,50.
O vinho Viña Tenencia foi trazido de Madri pelo Fernando. Busquei na internet e até esta postagem não foi localizado para venda no Brasil.

Boa semana e bons vinhos!!
Para comemorar o dia dos namorados nada melhor do que bons vinhos, comida e boa companhia. Viemos comemorar a data na casa dos amigos Micheline e Daniel,tambem com os amigos Marcelo e Ludmila, harmonizando com um delicioso raclete com batatas e especiarias.
Daniel fez excelentes escolhas: Tamaya Carmenere Reserva 2009, Estate Bottled e Valdivieso Premium Cabernet Sauvognon Single Vineyard 2005. Mãos a obra.
No copo, pouco oleoso e perfumado, percebendo-se vegetais frescos. Na boca, pouco tânico, ácido e de retrogosto curto.
Segunda rodada, que venha o Valdivieso.
No copo, escuro e bem frutado. Na boca, ligeiramente salgado, com taninos médios. Retrogosto curto e carvalho equilibrado. Muito interessante.
Vinho da noite: com três votos a um, o Valdivieso.
Boa semana e bons vinhos



É com imensa alegria que visitamos a Lara, filha do Ernani e Luciana, que acabou de chegar em nossas vidas! E para tal, apreciamos um presente do grande amigo Heraldo: um Rutini Cabernet-Malbec 2008. Ganhei este Argentino de aniversário e reservei para um momento especial!

A Larinha e família estão muito bem, superaram com força e determinação as últimas semanas. Tudo aconteceu pois a menina quis nascer logo para receber um ovinho de Páscoa. E deu uma grande surpresa e corre-corre em todo mundo! Eu e a Ká ficamos muito felizes de estrearmos a apresentação da moça para a sociedade Florianopolitana! Longa vida de realizações Lara!



E o Rutini? Bem, grande vinho! Sedoso e macio para um forte Cabernet Sauvignon com Malbec! Ótimo buquê, toque leve de frutas vermelhas e madeira delicada. Envelhecido 1 ano em carvalho americano e mais 1 ano em carvalho francês de primeiro uso. Grandioso!

Bem, daqui há uns 17 anos e 11 meses espero que possamos brindar com esta menina um Rutini no inverno! Até lá família!

- Posted using BlogPress from my iPad
Mais um da leva que trouxe do Chile. Este rótulo é da vinícula Ventisquero e não conhecia.
No copo, escuro e com densidade mediana. Pouco florado mas bem frutado, amoras e cerejas.


Mais um da leva que trouxe do Chile. Este rótulo é da vinha Ventisquero e não conhecia.
No copo, escuro e com densidade mediana. Pouco florado mas bem frutado, amoras e cerejas, e madeira na medida certa. Na boca, percebe-se aromas de pimenta negra e tabaco. Com taninos leves mas retrogosto longo achocolatado.

Excelente pedida para a sexta-feira passada.

Como sempre, no Chile foi uma pechinca, sendo adquirido no supermercado por um preço excelente. Por volta de $ 4.000,00.

Boa semana e bons vinhos.


Caros colegas, desculpem-me a ausencia por tanto tempo, mas ultimamente tenho estado bastante ocupado e minhas contribuicoes por estas bandas ficaram escassas (o que nao significa que parei de degustar bons vinhos ou acompanhar os posts).
Tirei uns dias de ferias e participo de um congresso em Boston, de onde vos escrevo neste momento, diretamente de Chandler Street. Apos alguns otimos vinhos californianos que coloquei na lista da viagem - e que escreverei cuidadosamente um por um - resolvi quebrar o jejum e dividir com voces a maravilha deste rotulo australiano: Yellow Tail.
Tomamos este Shiraz, safra 2009, no pub UNO-Chicago Bar & Grill por sugestao da simpatica Jessica. E como a maioria dos shiraz do pais dos cangurus, nao decepcionou, pelo contrario, entrou para a lista "the best custo-beneficio".
No aroma, a presenca de pimentas e baunilha é muito marcante. Na boca, apresenta-se suave e levemente encorpado, com final predominante de mulberry (amora). Ideal, como sugerido pela Jessica, acompanhando um belo steak - aqui saboreado com o steak red angus e rice leaf (um arroz bem temperado com curry) que harmonizou super bem.
No pub, o rotulo sai por $18. Fica a dica para quem vier passear no charmoso bairro de Back Bay ou encontrar em alguma importadora. Juro que volto logo para falar dos rotulos californianos descobertos!
No mais, see you soon! Best Regards and Wines!!!