Já está disponível em Brasília um digno português que está dando o que falar.
Assinado por Paulo Laureano, um dos mais renomados e premiados enólogos, o vinho Tradições Antigas chegou com exclusividade ao Brasil, em uma produção limitada e somente em algumas praças.

Com o intuito de surpreender mais uma vez e motivado por conter em sua coleção, na vinícola de Monte Novo de Lisboa, 14 talhas do século 19, esta vinícola apresentou ao mundo este rótulo também em talhas, fazendo uma releitura da época antiga.

Como a proposta segue a linha de usar somente castas portuguesas e resgatar processos antigos de fabricação, a Paulo Laureano busca as essências e o orgulho português, valorizando as cores, aromas e sabores deste país tão expressivo para este setor, remontando a civilização romana que ocupou a região durante vasto período, juntamente com a tradição alentejana na produção de excelentes vinhos.

A produção foi limitada a 2.400 garrafas e 600 talhas, ambas de 750ml, deixando diversos importadores pelo mundo com inveja. Mas a Paulo Laureano promete estender para os demais países a próxima safra, mas demonstra ao mundo a importância do mercado brasileiro, como também valoriza quem o incentivou a retornar com esta tradição.

Em Brasília é possível encontrar esta série na Bodega Austral, na loja da 112 norte, ao lado da sorveteria Saborella.

São poucas unidades a disposição, dentre as outras inúmeras opções de rótulos.

Eu já garanti o meu e logo comentarei aqui no blog.

Boa semana e bons vinhos!!
Muito frio e tempo chuvoso em Floripa! Ideal para um vinho tinto e conserto de lamparinas, tudo para tornar este inverno mais agradável!



Aqui em casa estamos com um vinho argentino bem leve desde o almoço das 16h! E com Lamparinas com querosene perfumado acompanhando o clima! Um toque do campo dentro de casa!

Vinas de Alvear, safra 2007, apenas para acompanhar as refeições do dia a dia!

- Posted using BlogPress from my iPhone

As vinícolas brasileiras conquistaram um espaço importante na Europa. Duas casas brasileiras, Miolo e Casa valduga foram selecionadas pela principal rede de varejo de luxo da Irlanda, a Superquinn, para inaugurarem a seção Brasil da rede. Esta loja possui 23 lojas na Irlanda e está no mercado desde a década de 1960, contando com mais de 3 mil funcionários.

A partir de setembro estarão disponíveis três rótulos no portifólio desta renomada boutique: Casa Valduga Premium Cabernet Franc e Miolo Reserva Merlot, Miolo Reserva Pinot Grigi.

Richard Moriarty, gerente de compras da rede e um dos mais respeitados profissionais no mundo do vinho, disse estar admirado com a excelente qualidade dos vinhos do Brasil.

A Superquinn tem o status de ser uma rede que prima pelo total atendimento e suporte de informações para os clientes, com excelente reputação entre os consumidores.

Esta estratégia deste projeto Wines of Brasil, em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) é posicionar os vinhos brasileiros nos melhores pontos de venda do mundo, conforme a gerente de promoção comercial Andreia Milan.

Vamos apostar nos nacionais?????

Bom fim de semana e bons vinhos!!

fonte

Uma vinícola americana, pertencente a família Lieb, vai produzir vinhos em memória do 11/9, em comemoração ao 10 anos do ataque ao World Trade Center, em Nova Iorque.

Esta família, que tem propriedade perto de Mattituck, Long Island, esta preparando esta comemoração com uvas Chardonnay e Merlot. Algumas pessoas têm criticado o oportunismo de ações neste sentido, devido à exploração de uma atrocidade para o país, com o intuito de fazer dinheiro.

O renomado chef Anthony Bourdain, quando perguntado sobre isso, disse ser uma grosseria e uma exploração. Em sua página do twitter chegou a fazer críticas mais pesadas a quem se aproveita deste momento.

Diversos outros twiters criticaram esta entrada de produtos com este tema, inclusive o auto do site FDNY EMS, que apoia os trabalhadores dos serviço de emergência de NY. Ele questiona e afirma que após este produto outros virão, tais como sopas, carros,.....

A família Lieb afirma que o intuito não é de fazer de dinheiro, tanto que uma parte do faturamento será revertido para as entidades do 11/09. A gestora deste produto diz que esta operação não é para gerar lucro para a empresa e que toda o dinheiro será revertido para a caridade, sendo a September's Mission foundation, detentora da licença dos produtos.
Vamos aguardar os próximos capítulos.

Para ler mais, acesse aqui.

Matéria extraída do DailyMail. Reportagem Ted Thornhill





Existem inúmeras decorações Natalinas na internet, mas uma me chamou a atenção: luminárias feitas com luzes de Natal e Garrafas de Vinho. Minha esposa adora estas luzes, e eu adoro vinho, vou tentar construir umas para a decoração Natalina destes ano, mas vou compartilhar com vocês o projeto...

Como um bom designer de produto, levantei diversas fontes, somei processos seguros de fabricação e encontrei uma linha-mestra segura para a construção caseira destas Luminárias.



Só 10 coisas que você precisa para colocar a mão na massa:
  1. Garrafa de vinho ou espumante;
  2. Luzes de Natal, com interruptor e plugue de tomada;
  3. Plugue de tomada;
  4. Broca de 1/2 polegadas ou 8mm;
  5. 1 Furo Limpo;
  6. Fita adesiva (durex);
  7. Óculos de proteção (EPI);
  8. Luvas de proteção (EPI);
  9. Blusa de manga comprida (EPI);
  10. Lixadeira Manual.
Dicas de proteção:
  • Luvas de couro ou material grosso;
  • Óculos de EPI que protejam integralmente os olhos;
  • Blusa fechada até o pescoço;
  • Manter angulo de 90o entre o braço e ante-braço na hora da furação;
  • Manter o torço ereto, rosto longe do local de furação;
  • Calma e firmeza na furação;

Como fazer, e se você não tem idéia de como fazer, desista aqui:
  1. Beba toda a garrafa de vinho, lave e deixe secar para o dia SEGUINTE;
  2. Vista todos os EPIs;
  3. De preferência fixe a garrafa com Sargentos ou equipamento similar, envolta por pano grosso;
  4. Caso não tenha os equipamentos acima, segure a garrafa com firmeza, mas sem pressão demasiada, assim se a garrafa estourar você não rasga as mãos (imagine que as Luvas de proteção possam falhar);
  5. Adesive a base da garrafa no local da furação;
  6. Coloque um Furo Limpo para evitar sujeira (patrocínio);
  7. Selecione furação de madeira/aço na furadeira;
  8. Fure com a broca de cerâmica, lentamente sem pressão demasiada;
  9. Deixe a broca entrar na garrafa e desligue a furadeira, retire a broca lentamente;
  10. Use a lixadeira manual para dar acabamento ao furo, lentamente;
  11. Coloque por cima da garrafa o fio que vai na tomada (retire o plugue antes);
  12. Passe pelo buraco da base da garrafa o fio, adicione o interruptor e o plugue;
  13. Insira agora as luzes de Natal (uma quantidade que seja o bastante);
  14. Não adicione uma rolha, para que a garrafa possa respirar, e pronto.
  15. Abra outra garrafa, comemore a primeira e comece outra só no outro dia!


Os turistas podem estar achando deplorável o tempo úmido na França neste verão, mas o lado bom de todos os dias nublados na praia pode, no final, ser um ano de bom a "excepcional" para o setor vinícola francês.

Muitos especialistas em vinho dizem que somente a volta das fortes chuvas, tempestades, granizo ou pragas na última parte da temporada de maturação do fruto vai interromper o que parece ser uma colheita prestes a se beneficiar do clima atípico deste ano.

Produtores de todo o país encontraram um novo alento depois de um início fraco na temporada de maturação, o que os fez temer o pior.

A França é o maior exportador mundial de vinho, em valor. O setor emprega 120 mil pessoas e gera 18 bilhões de euros (25 bilhões de dólares) em receitas.

Durante a primavera seca deste ano, as videiras procuraram água e suas raízes penetraram fundo no solo, momento em que o crescimento das uvas é menos prioritário.

Quando veio a chuva, numa época em que os turistas ansiavam pelas praias ensolaradas, a água irrigou as videiras e colocou a safra de volta nos trilhos.

Para ler mais, acesse >>>>

Reportagem: Marcel Michelson

Mais uma garrafa que valeu a viagem a Santiago.
Tivemos a oportunidade nesta viagem de conhecer algumas vinículas, entre elas Concha Y Toro, Cosiño Macul e Undurraga.

Nesta última, chegamos seguindo as dicas da Fernanda e Rodrigo, nossos amigos de SP, fugindo um pouco dos serviços de transporte tradicionais para turistas.
Enfim, chegamos à Undurraga bem cedo, em um dia de fog muito forte pela manhã, mas de belas paisagens. A vinícula fica em Talagante, no Valle do Maipo, a 34 km de Santiago.
Um lugar muito acolhedor e familiar. Conhecemos as áreas internas, os jardins e plantações. Também passamos pela parte de industrialização e guarda.
Degustamos três vinhos, os quais vou postar somente quando abrí-los, mas já adianto que virão excelentes palavras a respeito de todos.

O Viejo Roble Cabernet Sauvignon Reserva 2009, por incrível que pareça, adquirimos em um supermercado de Santiago, a um preço mais acessível que na vinícula. Outros rótulos só encontrei e comparei no free-shop do aeroporto e os preços estavam compatíveis.

Enfim, aproveitamos a sexta-feira para relaxar, após mais uma semana de estresses e insônias. Para variar, com excelentes companhias e ótimos vinhos.

No copo, um vinho escuro e de odores tímidos. Pouo denso. Por se tratar de um vinho jovem, apesar de reserva, optamos em abrí-lo e deixá-lo respirar no copo.
Aos poucos ele foi se mostrando amadeirado e ligeiramente floral, mas não frutado.
Na boca ele cresce. Levemente frisante, o carvalho se acentua, com toques de tostado ao fundo. Percebe-se também nozes e amendôas.


Pouco adstringente, com retrogosto médio a longo, e levemente salgado. Esperava um pouco mais encorpardo, por ser um Cabernet Sauvignon.

Muito bom e aprovado por todos.

Interessante saber que o formato desta garrafa é bem diferente e foi elaborado pela Undurraga. Somente ela pode utilizar e já é uma marca da empresa.

Foi comprado em Santiago por apenas $ 3,200 pesos ou R$ 12,80.

Para quem estiver de passagem por lá, vale a experiência.

Para conhecer um pouco mais a Undurraga, acesse aqui

Boa semana e bons vinhos!!
Mais uma preciosidade degustada. Graffingna, Cabernet Sauvignon 2005, Grand Reserva.

Em mais uma semana de muito trabalho, na quinta resolvemos somente degustar uma bela garrafa.
Sem acompanhamentos, nem compromissos. E tivemos o privilégio de toparmos com este rótulo.
Da tradicional casa de Santiago Graffigna, este argentino tem personalidade.


De cor rubi intensa, ao ser aberto, já perfuma o ambiente com aromas de frutas vermelhas, carvalho tostado e chocolate.
Na boca, acentua-se o carvalho e o adocicado tende ao caramelo. As frutas vermelhas também se intensificam, percebendo-se a presença de romã e amoras, somadas ao tabaco e pimenta, e um toque de coco.
Potente e estruturado, bem tânico e de retrogosto longo, com acidez controlada.

Um vinho pronto.

Este foi adquirido no free shop de Brasília por U$ 16,00.
Pedida certa para quem passar por um.

Mais uma vez, parabéns a minha mulher, pela excelente aquisição.

Boa semana e bons vinhos!!

Para saber mais, acesso graffignawines



Só a Diretoria! Vinho, cerveja e muitos Causos! A história dos dez contos... Só pelos protagonistas!



O dia todo os vinhos Callia Alta deram um belo presente à este aniversário. Malbec, Shiraz e outros mais! Isto tudo fora o vinho da casa que degustamos no início. Um amigo trouxe do interior de Santa Catarina e nos adoramos. Será que aprendemos a produzir vinhos de mesa no Brasil com a qualidade mínina aceitável? Ótima iniciativa. Vinho vivo, com pequenas borbulhas frisantes, seco e com pouco buque, mas aceitavelmente no padrão "de mesa" ou "da casa".



Feliz Aniversário Tio Deco!

- Posted using BlogPress from my iPhone

A questão da obrigatoriedade do uso de selos nas garrafas importadas tem ocupado uma parte da mídia nos últimos tempos. Enfim, parece que resolveram.

A Justiça considerou o selo injustificado, por terem os tributos já sido pagos no desembaraço das caixas e por significarem ônus aos importadores que terão que esgotar seus estoques antes de 31 de dezembro. Mas a Receita Federal obteve uma liminar garantindo a selagem.

No momento a situação está assim: a maioria dos importadores com a causa ganha em primeira instância, mas a selagem continua. A decisão virá mais tarde, depois do julgamento em segunda instância.

Fonte: Blog do Renato



Este Português do Douro caiu como uma luva para harmonizar com uma galinhada goiana! Mas, e, sempre existe um mas... É bem forte para ocasiões que pedem um vinho mais constante "flat", e para os não iniciados em vinhos europeus...

Porquê as ressalvas? Bem, o Foral como muitos europeus, não é constante do início ao fim. Aqueles, apresentam particularidades diferentes a cada momento da degustação (bem diferente dos Chilenos básicos). Este, por exemplo, inicia com um buquê simples (quase inexpressivo de flores), depois apresenta tons delicados de madeira e frutas escuras, mas depois... Os taninos se apresentam com força, convidando uma carne mais forte e temperada, ou no meu caso, uma galinhada à moda goiana, bem temperada.

De modo geral, uma ótima experiência por apenas R$ 20,00 a garrafa. 13% de álcool, produzido na região do Douro com as uvas Tinta Roriz(40%), Touriga Franca (30%) e Tinta Barroca (30%). Tradicionalmente Portuguesas. Vale cada trago!

Uma observação: alguém sente falta de receitas dos pratos e fotos quando harmonizamos?


- Posted using BlogPress from my iPad