Aí esta ela, a mãe de todas as Pilsen. Para quem não sabe, Plzen (Pilsen) é uma cidade da República Tcheca a mais ou menos uma hora e meia da capital Praga. Na cervejaria Plzensky Prazdroj, que significa algo como "fonte primordial" em tcheco, nasceu à cerveja tipo Pilsen, o tipo mais bebido no mundo.

De cor dourada e amargor suave de lúpulo, quando servida nos típicos canecos de meio litro nos faz parar, olhar e sentir o aroma refrescante. A respeito da cor da cerveja, existe um fato interessante: nos comerciais de cerveja de outros fabricantes muitas vezes é usada a Pilsen Urquel por causa de sua cor e espuma branquinha. Quem visita a cervejaria e faz a visita, ao final vai poder provar a cerveja já pronta, porém não filtrada, ainda turva mas com um frescor e sabor que deixa o visitante feliz ao primeiro copinho bebido.

Um outro fato interessante é que na republica Tcheca quando se vai ao médico e se pergunta: Doutor, posso beber? Ele provavelmente vai responder: Um caneco de Plzen por dia vai te ajudar bastante no tratamento. Parece mentira, mas isso acontece mesmo! Você pode encontrar a Urquel no Brasil, mas o grande barato é beber lá na República Tcheca, não só por causa da atmosfera, mas pelo fato da cerveja mantida em tanques grandes detém o frescor da cerveja, diferentemente de beber a cerveja engarrafada.

Quando se vai a um restaurante ou Pub com tanques de cerveja (Tankové Pivo), podemos ver os tanques do tamanho de um carro popular em salas especiais resfriadas, e com luzes verdes. Essa cerveja de tanque é extremamente leve, até quem não é tão fã de cerveja acaba tomando uns quatro canecos de 500 ml.

E não fique se culpando por beber tanto. Um cidadão tcheco vai beber uns dez ou quinze enquanto isso. E o melhor, no dia seguinte você vai acordar já esperando a hora de tomar à próxima.



Uma pancada de taninos fortes, com madeira e amoras ao fundo, e acompanhando uma entrada de camarão com siri.



Este vinho da Toscana, produzido com Sangiovese e Syrah, um desbunde de sabores!

Esta entrada vocês podem cinferir no Café Dom Joaquim em Floripa, na rua de mesmo nome. Apreciem!

- Posted using BlogPress from my iPhone

Finalmente tive tempo de dar uma fugida de Paris, 15 dias de folga pela frente e decidimos dar um rôle pela França (logicamente, Bordeaux fez parte do roteiro).
Até aí tudo bem... Mas, planejar um roteiro pela França, sabendo que haveria tempo suficiente para visitar e degustar in loco os principais produtores da maior região de vinhos do mundo foi de quebrar a cabeça rs! 

Alugamos um carro aqui em Paris e descemos em direção ao sul. A ideia era montar "bases"nas cidades mais importantes e vasculhar os arredores. Paramos em, pelo menos, 12 cidades: Dijon, Lyon, Nice, Eze, Mônaco, St. Tropez, Aix-en-Provence, Marseille, Montpellier, Carcassonne, Arles e Bordeaux.
Não era pra ser uma viagem gastronômica, mas foram tantas as surpresas agradáveis em cada uma das cidadezinha - principalmente nas regiões da Borgonha e Vale do Rhône - que faço questão de "tratá-la" como tal rs. Não sei se é do conhecimento de todos, então aqui vai um "Você sabia que..." na França, cada região produz seus queijos e pratos locais de maneira à harmonizar PERFEITAMENTE com os vinhos produzidos nesta mesma região. Parece meio óbvio o objetivo, mas quando você pára pra pensar nas centenas de anos que alguns destes produtos possuem, é de tirar o chapéu tamanha determinação! Bom, este é o saldo da viagem: 3 mortais, 3.280 km, paisagens de tirar o fôlego, 40 garrafas de vinhos inesquecíveis (e 6 kg a mais)!
Vou levar um tempo pra dividir aqui todas as experiências, mas começo o "roteiro" por ela: Bordeaux, porque imagino que a curiosidade enófila pela belezura aqui seja maior.

Bordeaux, em importância, é a 9a. cidade francesa. Tem aproximadamente 236.000 habitantes,  +600 restaurantes (façam um paralelo com uma cidade brasileira nas mesmas proporções rs) e rótulos, rótulos incontáveis.

Não teríamos tempo suficiente para fazer todas as regiões (isso leva ao menos 7 dias) então o Guia Zahar/Robert Joseph de Vinhos Franceses (presente do amigo Ralcyon) entrou em ação. Agendamos todas nossas visitas através d' Office du Tourisme de Bordeaux, que já confirma na hora todos os horários (eles cobram 3 euros por agendamento).
Escolhemos quatro adegas, uma pequena, uma média e duas gigantes, pensando que a escolha deveria nos ajudar a conhecer a realidade e o dia a dia de diferentes produtores na fabricação de bons vinhos. Cada um desses châteaux, pertence à regiões produtoras distintas, assim, visitamos St-Julien, Pessac-Léognan, Lalande de Pomerol e St-Emillion.

Abaixo um mapa das pouquíssimas regiões de vinho em Bordeaux.

Saint-Julien é conhecida pelo solo de cascalho e por ser o território da Cabernet Sauvignon.

Pessac-Leognan, mais ao sul de Bordeaux, é caracterizada por produzir alguns dos melhores tintos e brancos secos do mundo, lá, nos brancos, predominam as cepas Sauvignon Blanc e Sémillon; Cabernet Sauvignon e Merlot nos tintos. 

Lalande Pomerol não tem grandes châteaux, mas o Châteaux Pétrus é responsável por alguns dos vinhos mais caros do mundo. Nestas regiões a Merlot é quem dita as regras, mas alguns châteaux também cultivam a Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc. 

Saint-Emillion produz vinhos de respeito e de preços bem altos devido a fama internacional.

No próximo post, detalho cada uma das vínicolas pra quem ficar com aquela vontade de sair correndo e vir pra cá porque acho que acertamos 99% na decisão! Na próxima vez preciso de mais tempo rs!


E aí? Bordeaux nas férias???


Reunimos os rótulos mais estilosos de 2009 para que vocês elejam o melhor deles. Publicaremos o resultado logo após 20/Junho/2012, e prosseguiremos com os anos seguintes, deixem suas opiniões!

Tudo bem, sabemos que não se seleciona um vinho pelo rótulo, mas também não é preciso fazer de qualquer jeito. E é precisamente aqui que entra uma questão trivial de design: a forma necessariamente segue a função? Os livros especializados dizem que sim, mas confiram vocês mesmos e deixem sua opinião! Garrafas de R$ 12,00 a $ 1.500 Euros!


Cafe Anglais - Cognac


Cono Sur - Merlot

Finca Flichman - Syrah

Balbo - Malbec

Le Mounant - Bourdeaux

E caso alguém discorde da lista de 2009, siga este link para acesso a todos os demais...


Joao Tava Cozinhando "Osso Bucco, saffron risotto "

Para os amantes da boa cozinha, apresento um vídeo do meu primo na BiCE Orlando, restaurante italiano que é um sucesso, são mais de 20 restaurantes ao redor do Globo, vale a pena conferir. Aproveitem e vejam um pouco dos bastidores deste famoso restaurante na Florida onde meu primo João Tava é aprendiz de Chef...

Quanto a carta de vinhos, aqui vai um link para o PDF do restaurante de Orlando, que contém 16 páginas repletas de vinhos diferenciados e com preço muito interessantes (lá no restaurante). Quando eu for lá, trago para a Bebideria os causos para nosso site. Aproveitem!


Para os que pretendem ir até lá, aqui fica o link para o site, e abaixo o endereço para quem está na estrada.

View Larger Map


Vinhos da uva Pinot Noir dos Vales americanos de Napa e Sonoma oferecem uma ótima opção para o "Combate". São vinhos fortes, encorpados e com extrema presença como denominamos aqui na Bebideria. Embora seus irmãos europeus e chilenos sejam mais suaves, estou com muita vontade de providenciar uma garrafa das vinícolas Patz & Hall (clique aqui) ou Paul Hobbs (clique aqui), que apresentam estes vinhos rampantes com 15% de teor alcoólico.




Ao buscar referências de vinhos americanos, vemos que naquelas localidades citadas os vinhos são super valorizados, o que não ocorre em outras praças. Apenas para comparação dos Pinot Noirs citados giram em torno de U$ 50,00 a garrafa, e os seus pares americanos ao redor de U$ 15,00.

Abaixo algumas referências:


  • Forest Glen Pinot Noir 2010 (US$ 8)
  • Vampire 2009 (US$ 13)
  • DeLoach Heritage Reserve 2009 (US$ 13)
  • MacMurray Ranch 2009 (US$ 18)
  • Ramspeck Napa Valley 2009 (US$ 17)
  • Francis Coppola Silver Diamond Label Monterey 2009 (US$ 18)
  • Angeline Reserve 2010 (US$ 17)
Aqui na Bebideria é conhecida a guerra dos Pinot Noirs, visitem aquelas matérias, temos um vinho do Francis Coppola e outros Chilenos...



Bem se já estão pensando em trazer para o Brasil, fica a dica: alguns dos produtores entregam aqui. Mas, o valor irá subir no mínimo 3 vezes. Boa sorte, e bons tragos!


Uma sequencia divertida de 26 cervejas exóticas. Afinal, sexta-feira se aproxima trazendo aquele belo fim de semana. Esperamos que o clima continue como está aqui em Floripa: com muito sol, temperatura entre de 18oC e 22oC. Ideal para uma cerveja, espumante ou vinho branco. 

Aproveitem o restinho desta semana e pensem qual será a degustação de sexta!

Cerveja de Viagra / Cerveja de Bacon


Cerveja de Pão de Banana


Cerveja para Cachorros

Cerveja de Chá

Cerveja de Leite / Cerveja de Chocolate

Cerveja de Côco / Cerveja de Ostra


Cerveja de Creme de Malte

Cerveja de Laranja / Cerveja de Maçã Verde

Cerveja de Maconha


Cerveja de Pêssego

Cerveja de Pimenta

Cerveja de Pizza / Cerveja de Melancia

Cerveja de Suco de Tomate / Cerveja de Limonada

Cerveja de Cabeça de Cação

Cerveja sabor Vagina / Cerveja de Galo

Cerveja de Wasabi


Cerveja de Café / Cerveja de Peixe

Cerveja de Algas Marinhas