Tour pela França - Bordeaux


Finalmente tive tempo de dar uma fugida de Paris, 15 dias de folga pela frente e decidimos dar um rôle pela França (logicamente, Bordeaux fez parte do roteiro).
Até aí tudo bem... Mas, planejar um roteiro pela França, sabendo que haveria tempo suficiente para visitar e degustar in loco os principais produtores da maior região de vinhos do mundo foi de quebrar a cabeça rs! 

Alugamos um carro aqui em Paris e descemos em direção ao sul. A ideia era montar "bases"nas cidades mais importantes e vasculhar os arredores. Paramos em, pelo menos, 12 cidades: Dijon, Lyon, Nice, Eze, Mônaco, St. Tropez, Aix-en-Provence, Marseille, Montpellier, Carcassonne, Arles e Bordeaux.
Não era pra ser uma viagem gastronômica, mas foram tantas as surpresas agradáveis em cada uma das cidadezinha - principalmente nas regiões da Borgonha e Vale do Rhône - que faço questão de "tratá-la" como tal rs. Não sei se é do conhecimento de todos, então aqui vai um "Você sabia que..." na França, cada região produz seus queijos e pratos locais de maneira à harmonizar PERFEITAMENTE com os vinhos produzidos nesta mesma região. Parece meio óbvio o objetivo, mas quando você pára pra pensar nas centenas de anos que alguns destes produtos possuem, é de tirar o chapéu tamanha determinação! Bom, este é o saldo da viagem: 3 mortais, 3.280 km, paisagens de tirar o fôlego, 40 garrafas de vinhos inesquecíveis (e 6 kg a mais)!
Vou levar um tempo pra dividir aqui todas as experiências, mas começo o "roteiro" por ela: Bordeaux, porque imagino que a curiosidade enófila pela belezura aqui seja maior.

Bordeaux, em importância, é a 9a. cidade francesa. Tem aproximadamente 236.000 habitantes,  +600 restaurantes (façam um paralelo com uma cidade brasileira nas mesmas proporções rs) e rótulos, rótulos incontáveis.

Não teríamos tempo suficiente para fazer todas as regiões (isso leva ao menos 7 dias) então o Guia Zahar/Robert Joseph de Vinhos Franceses (presente do amigo Ralcyon) entrou em ação. Agendamos todas nossas visitas através d' Office du Tourisme de Bordeaux, que já confirma na hora todos os horários (eles cobram 3 euros por agendamento).
Escolhemos quatro adegas, uma pequena, uma média e duas gigantes, pensando que a escolha deveria nos ajudar a conhecer a realidade e o dia a dia de diferentes produtores na fabricação de bons vinhos. Cada um desses châteaux, pertence à regiões produtoras distintas, assim, visitamos St-Julien, Pessac-Léognan, Lalande de Pomerol e St-Emillion.

Abaixo um mapa das pouquíssimas regiões de vinho em Bordeaux.

Saint-Julien é conhecida pelo solo de cascalho e por ser o território da Cabernet Sauvignon.

Pessac-Leognan, mais ao sul de Bordeaux, é caracterizada por produzir alguns dos melhores tintos e brancos secos do mundo, lá, nos brancos, predominam as cepas Sauvignon Blanc e Sémillon; Cabernet Sauvignon e Merlot nos tintos. 

Lalande Pomerol não tem grandes châteaux, mas o Châteaux Pétrus é responsável por alguns dos vinhos mais caros do mundo. Nestas regiões a Merlot é quem dita as regras, mas alguns châteaux também cultivam a Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc. 

Saint-Emillion produz vinhos de respeito e de preços bem altos devido a fama internacional.

No próximo post, detalho cada uma das vínicolas pra quem ficar com aquela vontade de sair correndo e vir pra cá porque acho que acertamos 99% na decisão! Na próxima vez preciso de mais tempo rs!


E aí? Bordeaux nas férias???

.