Este velho conhecido está com preço muito bom, um Espanhol da região de Utiel-Requena 2008 produzido com as uvas Tempranilo que oferece um ótimo preço x qualidade. O Marques Del Turia é uma boa pedida para acompanhar um almoço ou jantar entre amigos!

R$ 23,50 no Supermercado Hippo de Florianópolis.

- Posted using BlogPress from my iPhone
Quase um bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável e 2,5 bilhões de pessoas hoje não têm acesso a saneamento básico. Wine to Water é uma organização sem fins lucrativos que reúne fundos desde 2004 no mundo do vinho para lutar contra este flagelo. O dinheiro ajudou a fornecer água potável e saneamento em muitos países, incluindo o Sudão, Índia, Camboja, Uganda, Etiópia e Haiti.

Doc Hendley, fundador da Wine to Water estabeleceu agora, parceria com a Winery Montesquieu e com o famoso enólogo Michel Rolland, para produzir no magnifíco terroir da região de Stellenbosch na África do Sul, o vinho Bonne Nouvelle. Em cada garrafa vendida será cobrada o valor de R$ 20,00 que irá fornecer água limpa a uma família na Etiópia.


Fiz esta receita e ficou muito bom. Recomendo.

  Foto Rogério Voltan
Tempo de preparo 1 h
Rendimento 1 fôrma média de furo no meio (15 Fatias)

Ingredientes

Bolo
240 g de manteiga;
240 g de açúcar;
4 ovos;
300 ml de vinho tinto;
240 g de farinha de trigo
peneirada;
1 pitada de noz-moscada;
1 pitada de canela em pó;
2 colheres (sopa) de cacau em pó;
1 colher (sopa) cheia de fermento
químico;
130 g de chocolate amargo ralado.

 

Calda
100 ml de água;
60 g de açúcar;
250 ml de vinho tinto.

Modo de fazer

Bolo
1 Pique a manteiga e espere até que ela atinja a temperatura ambiente. leve-a à batedeira junto com o açúcar e misture até obter uma pasta lisa.
2 Adicione os ovos e continue batendo para que a massa fique homogênea.
3 Acrescente o vinho tinto, misturando levemente com um batedor manual.
4 Junte a farinha peneirada e bata até obter uma massa lisa.
5 Adicione as especiarias, o cacau e o fermento de uma vez só, batendo tudo à mão. E acrescente o chocolate ralado.
6 Despeje a massa numa fôrma média de furo no meio e leve ao forno a 170 °c /180 °c por aproximadamente 1 hora. Atenção: seja religioso com a temperatura. Quando o bolo é alto e com furo no meio, ele demora mais tempo para assar, e o forno quente demais acaba queimando a parte de cima.

Calda
1 Em uma panela, aqueça a água e o açúcar, misturando até ficar homogêneo.
2 Desligue o fogo e adicione o vinho. Espere até atingir a temperatura ambiente.
3 Jogue a calda no bolo ainda morno e deixe esfriar para servir. 


Fonte: Revista Casa e Jardim



Este Português da região de Lisboa, Quinta de Bons-Ventos foi um dos melhorez vinhos que comprei neste ano. As frutas vermelhas sobresaem no buque e palato. Acidez super controlada, e uma coloração rubi impressionante! 13% de álcool, por uma bagatela de R$ 22,90 no Supermercado Comper próximo à UFSC, em Florianópolis.

E quanto ao corte? Uvas tradicionais da terra de Pedro Vaz: Castelão, Camarate, Tinta Miúda e Touriga Nacional. Vale cada taça!

- Posted using BlogPress from my iPhone

Como postado, os vinhos do hemisfério sul têm sido bem cotados desde as últimas safras, o que tem conferido mais reconhecimento internacional. Não é diferente com a Nova Zelândia. Com destaque recente no enomundo, pouco mais de vinte anos, os vinhos deste país tem grande frescor, características frutadas e equilibrados, sendo fáceis de beber. Isso tem chamado a atenção de vários mercados.

Devido a este aumento nas exportações nos últimos anos, hoje o país ocupa o 10º lugar em exportação de vinhos finos, mesmo participando somente com cerca de 1% da produção mundial. Para os próximos anos, os produtores prevêm aumento pois, a área plantada vem aumentando progressivamente.


A Bollinger, uma das grandes casas de Champagne, passou a utilizar barris de carvalho usados, com mais de 20 anos, para a fermentação de toda a linha de seus champagnes, argumentando que são melhores para as trocas de ar do líquido com o ambiente externo, o que incentiva a oxidação de elementos indesejáveis na composição dos espumantes.

O chef de cave da vinícola, Mathieu Kauffman, afirma que "a fermentação ocorrida em barris de carvalho antigos  pode extrair as características da madeira, porém em menor quantidade, o que é extremamente importante para a elaboração dos champagnes da vinícola."

Este procedimento contraria completamente as afirmações de que um barril de carvalho após cinco ou seis anos de uso perde totalmente sua capacidade de imprimir sabor ao vinho armazenado nele.

Fonte: CBN