De cor de palha escura, límpida e cristalina com espuma de bolhas pequeninas e bem consistente, e no paladar com forte sabor de malte e pronúncia de Lúpulos aromáticos... Pode parecer uma Pilsen, mas não é. Esta é a cerveja tipo Heller Lager que é a resposta Alemã às Pilsener que surgiam na República Checa.

Traz TA de 5,1%, produzida com puro malte segundo as leis de pureza Alemãs, e ao valor de R$ 12,00 em média a garrafa de 500ml.

Aqui acompanhei a Pilsener com uma costelinha ao molho barbecue, com bastante pimentas para deixar a coisa "forte". A cerveja caiu bem pois é bem seca e ajudou a "diluir" a gordura da costelinha suína.


Cansado, fatigado: Vinho que após filtrado, engarrafado ou transportado, perdeu suas características momentaneamente.

A Azul anunciou parceria com o e-commerce de vinhos wine.com.br para escolher os vinhos para seus voos internacionais, de Viracopos aos Estados Unidos. As aeronaves A-330-200 que operam nessas rotas já têm disponíveis dez opções de vinhos nas classes Business Light e Econômica. Segundo a aérea, debutante em rotas ao Exterior, as bebidas são originárias da França, Itália, Portugal, Argentina e Estados Unidos. “Esta parceria é uma forma de potencializarmos ainda mais a Experiência Azul de nossos clientes em ambas as classes das aeronaves que fazem os voos internacionais. Apostamos num serviço refinado e de primeira linha, com opções de vinhos que atendem a todos os gostos”, avaliou Gianfranco Beting, diretor de Comunicação, Marca e Produto da Azul.

Na Business Light, os passageiros contam com vinhos como Clos de Los Siete (Argentina), MacMurray Russian River Pinot Noir (Estados Unidos), Champagne Jacquart Brut Rosé (França) e Champagne Jacquart Brut Mosaïque (França). Já na classe econômica, há opções como Fantinel Borgo Tesis DOC Grave Pinot Grigio (Itália) e William Hill Central Coast Cabernet Sauvignon (Estados Unidos). Além destes, também é servido, na Business Light, o vinho de sobremesa Grande Renaissance Sauternes AOC (França).

Fonte: Panrotas


Vamos inaugurar o Dicionário do Vinho e Cerveja da Bebideria.como.br misturando termos consagrados no mundo da enologia e do cervejeiro para trazer a luz alguma explicação de termos sombrios e estranhos...

Vamos começar com Vinhos nesta Terça-Feira.
De fácil uso, o produto pode ser utilizado em todos os tipos de vinho, exceto em espumantes, devido a presença de CO2.

Um novo produto está chegando no mercado para mudar a forma como bebemos vinhos. O Sonic Decanter promete, em menos de 20 minutos, reproduzir na sua bebida o efeito de anos de envelhecimento, utilizando uma tecnolocia capaz de transformar a estrutura molecular e química do vinho.

O projeto já ultrapassou a meta inicial de pedidos para começar a produção, na campanha de financiamento coletivo Kickstarter . No total, foi arrecadado pouco mais de US$ 139 mil. Os primeiros 100 apoiadores garantiram o produto por US$ 99. No varejo, o produto deverá ser vendido por cerca de US$ 250, com as primeiras encomendas sendo enviadas entre maio e junho de 2015.


De fácil uso, o produto pode ser utilizado em todos os tipos de vinho, exceto em espumantes, devido a presença de CO2. O decantes promete, também, "revigorar" vinhos que já foram a abertos. Para utilizar, basta colocar um pouco de água no produto, posicionar a garrafa e escolher entre as opções de vinho tinto ou branco, nos botões indicativos. O Decanter pode ser controlado via aplicativo de smartphone.
Confira o vídeo explicativo abaixo:


Uma decisão proferida nesta quinta-feira (11) pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, prevê maior restrição a propagandas de cerveja e vinho em todo o país. Em 180 dias após a publicação da decisão, só poderá haver anúncios no rádio e na TV entre as 21h e as 6h. Até as 23h, a propaganda será permitida só em programas não recomendados para menores de 18 anos.

O prazo de seis meses foi estipulado para adequar os contratos entre as fabricantes e as empresas de publicidade. Cabe recurso da decisão no próprio TRF-4, o que pode derrubar a nova regra.

O conteúdo também será afetado: ficam proibidas propagandas que associem o consumo das bebidas “ao esporte olímpico ou de competição, ao desempenho saudável de qualquer atividade, à condução de veículos e a imagens ou ideias de maior êxito ou sexualidade das pessoas”. Não será permitida, por exemplo, que uma pessoa vestindo trajes esportivos apareça na peça publicitária bebendo cerveja.

Os rótulos também deverão mudar, contendo a seguinte advertência: "Evite o Consumo Excessivo de Álcool". Nos locais que vendem cerveja e vinho, deverá ser afixado advertência informando ser crime dirigir sob a influência de álcool, punido com prisão.

Restrições do tipo já valem para bebidas mais fortes, como uísque e vodca (com teor alcóolico acima de 13 graus na escala Gay Lussac. A novidade da decisão é que ela passa valer também para aquelas com teor acima de 0,5 grau.

O julgamento se deu sobre três ações sobre o assunto, uma delas do Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul. O órgão argumentou haver “evidências científicas” de que a publicidade influencia o consumo de jovens, especialmente de forma precoce e intensa. Também sustentou que no país existe uma alta exposição de adolescentes a esse tipo de publicidade.

"O álcool é responsável por mortes violentas, abuso sexual, agressões, acidentes de trânsito, violência doméstica, diversas enfermidades, inclusive do feto e recém-nato de mãe alcoolista, exposição a comportamentos de risco, como direção sob efeito de álcool, sexo sem proteção e uso de outras drogas", diz outro trecho da ação.

O relator do caso, desembargador federal Luís Alberto D'Azevedo Aurvalle, acolheu o pedido e foi seguido pelos colegas Vivian Josete Pantaleão Caminha e Candido Alfredo Silva Leal Junior.

Por meio de sua assessoria, a entidade que reúne as maiores cervejarias do país, a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), disse que não comenta casos ainda em andamento. A associação participou do julgamento no TRF-4 como parte interessada.

Fonte: G1
A região tem se destacado como local para testes de rótulos que sonham em ganhar o apetite dos brasileiros. A mais nova iniciativa do gênero coube ao administrador de empresas Andre Roso que planeja exportar a bebida de pequenas vinícolas italianas a partir de 2015

Raramente o Atelier de Massas, um dos restaurantes mais conhecidos de Porto Alegre, abre aos domingos. Quis o destino que uma das exceções fosse a apresentação para um seleto grupo de consumidores de vinhos que provaram nada menos que mais de duas dezenas de rótulos italianos. A última vez que um fato desses se repetiu foi há praticamente três anos quando o local acomodou a apresentação de uma importadora. 

Agora, o local, que fica no coração da capital gaúcha, foi palco de uma apresentação conduzida pelo administrador de empresas Andre Roso (na foto, à esquerda, acompanhado do pai em Verona), um amante de vinhos e proprietário da Legno Brasile, uma construtora de São Leopoldo (RS). "Em mais de três décadas lidando com o segmento, nunca vi uma degustação de tão alto nível", opina Gelson Radaelli, artista plástico e um dos sócios do restaurante. 

O objetivo de Roso, que tem como projeto comercializar vinhos sob demanda a partir do ano que vem, foi medir a temperatura de consumidores comuns, aqueles mais acostumados a beber vinhos – algo raro de acontecer tendo em vista que vinícolas e importadoras se satisfazem com as avaliações de técnicos. As fichas para os participantes do encontro eram muito simples. 

O visual pesava até 4 pontos, o aroma até 8 pontos e o gosto até 10 pontos, uma soma de 22 – bem distante do 100, o maior índice de pontos em concursos nacionais e internacionais, por exemplo. Do Paraná para baixo, a iniciativa de Roso é a mais nova proposição do gênero. Em solo catarinense, a importadora Porto Mediterrâneo já costuma fazer ações parecidas na região. 

Na apresentação exclusiva de sete horas que Cepas & Cifras participou, a análise final dá conta que todas as amostras são de altíssima qualidade. E o melhor: os preços de mercado tendem a não ser abusivos. Tanto é verdade que o rótulo mais caro deve ser comercializado por algo em torno de R$ 420 – metade do preço cobrado por um grande Barbaresco hoje no Brasil. 

A Roso Azienda Alimentare deve trabalhar com margens entre 30% e 50%. Roso planeja trazer os vinhos italianos via transporte aéreo – o que deve preservar a qualidade dos rótulos. Em uma segunda fase do projeto o empresário deve apostar nas castas francesas. “Pretendo atender tudo e todos, pois teremos vinhos únicos e preços bons”, garante Roso. “Mas não podemos esquecer que vinho bom não é barato – e sim ´buon mercatto´ como falamos em italiano”, defende. 

Os 15 seletos consumidores tiveram a oportunidade de provar 27 rótulos de seis pequenas vinícolas. Roso procurou escolher pequenos empreendimentos familiares que não produzem mais do que 170 mil litros anualmente. “Sono vini fatti a mano”, explicou Roso, que é também cidadão italiano, fazendo referência à produção da bebida feita em pequena escala. Na oportunidade foram apresentados rótulos de Dolcettos, Amarones, Barolos e Barbarescos. 

Na opinião de Cepas & Cifras, os rótulos mais representativos são os da vinícola Enzo Boglietti (na foto, à esquerda) – especialmente os Barolos 2008 e o 2007 (dos vinhedos Arione e Fossati, respectivamente). Outro que chamou a atenção foi o espumante extra Dry Pinot Grigio, da Benotto Luigino. Outra surpresa foi o assemblage de Cabernet Sauvignon com Cabernet Franc, produzido pela Corte Moschina. O Moscato Bianco, da Marcarini, também vale a pena ser provado. Por fim, o corte de Merlot e Cabernet Sauvignon, da Colli Vicentini, um ITG, também estava muito bom. 

Tudo leva a crer que os três estados do sul continuam tendo potencial para se tornarem verdadeiros campos de provas para os vinhos estrangeiros e também os nacionais. Nós, paranaenses, catarinenses e gaúchos só temos a agradecer iniciativas como essas!

Fonte: Amanhã
O brasileiro gosta muito de cerveja, mas os números divulgados pela consultoria Euromonitor, não colocam o Brasil como país onde o consumo da bebida é maior.


De acordo com dados da consultoria, a República Tcheca é o país que abriga a maior quantidade de "cervejeiros" do mundo, com consumo per capita anual de 143 litros por habitante. A quantidade anual equivale a pouco mais que uma latinha por dia.

A Alemanha ocupa o 2º lugar do ranking, com consumo per capita anual de 110 litros por pessoa, seguida da Aústria, que apresenta consumo total de 920 milhões de litros.

Varsóvia (Polônia), Praga (República Tcheca) e Berlim (Alemanha) são algumas das cidades em que a cerveja é mais barata, fator que pode justificar a colocação como consumidores em potencial. 

Confira lista baseada em dados divulgados pela consultoria Euromonitor:

1º - República Tcheca
Consumo de cerveja 
Por pessoa: 143 litros
Total: 1,5 bilhões de litros

2º - Alemanha
Consumo de cerveja      
Por pessoa: 110 litros
Total: 8,9 bilhões de litros

3º - Áustria
Consumo de cerveja  
Por pessoa: 108 litros
Total: 920 milhões de litros

4º - Estônia
Consumo de cerveja      
Por pessoa: 104 litros
Total: 135 milhões de litros

5º -  Polônia
Consumo de cerveja  
Por pessoa: 100 litros
Total: 3,8 bilhões de litros

6º -  Irlanda
Consumo de cerveja     
Por pessoa: 93 litros
Total: 430 milhões de litros

7º - Romênia
Consumo de cerveja      
Por pessoa: 90 litros
Total: 1,8 bilhões de litros

8º - Lituânia
Por pessoa: 89 litros
Total: 260 milhões de litros

9º - Croácia
Consumo de cerveja 
Por pessoa: 82 litros
Total: 346 milhões de litros

10º - Bélgica
Consumo de cerveja       
Por pessoa: 81 litros
Total: 900 milhões de litros.

Álcool bem perceptível no buque, leve sedosidade, cor rubi escura e fundo de frutas vermelhas. A madeira, e taninos bem sutis. É um vinho equilibrado, bem diferente dos Malbecs "porradas" mais tradicionais.

É um vinho de mesa de qualidade, com TA de 13%, safra 2012 de uvas Malbec da região de Mendoza na Argentina. Sai por R$ 29,89 em Florianópolis. Acho que cairia bem neste final de ano para acompanhar a Cei de Natal ou Ano Novo.

Esta Stout é uma grande experiência aromática que pode em poucas palavras ser apresentada, é muito objetiva e expressiva.

Traz à tona visualmente um preto elegante e aveludado com espuma creme escura. Ao ser levada à boca percebe-se no nariz a pimenta e especiarias antes mesmo do primeiro gole. Na boca a cerveja se mostra encorpada, com tonalidades de café oriundos do malte torrado, e grande pronúncia de lúpulo refrescante. Que experiência.

Bem, depois do "primeiro encontro" conseguimos observar com mais detalhes que a espuma é formada com bolhas bem pequeninas, formando um espesso colarinho bem persistente.

A Fuller's London Black Cab Stout 500ml realmente faz jus a esta categoria, traz TA de 4,5%, (bem modesta até), com malte torrado, lúpulo e grãos não maltados! Sim, grãos não maltados, o que pode até parecer um xingamento para alguns puristas, porém deixei para o final este comentário para frisar que nem só de malte se produz cerveja, e o resultado é uma cerveja soberba!


Final de ano traz comemorações no trabalho e família, para dar uma ajudinha de última hora apresentamos aqui um conhecido vinho, o Casillero del Diablo com embalagem diferenciada em alumínio e edição limitada de 700 unidades em toda a rede Angeloni... Portanto corram, tem um exemplar a menos no Angeloni do Centro de Florianópolis.

O Casillero del Diablo, da uva Cabernet Sauvignon (e todas outras cepas), é considerado como um vinho "porrada", muito bom para acompanhar uma festa alongada e regada a vinho potente - muita madeira, taninos e tons de frutas vermelhas. Sai por R$ 37,90 na rede Angeloni.

Correu o final de ano todo e deixou para última hora aquele presentaço? Ajudamos vocês com esta outra dica de presente: Um kit para fabricar sua cerveja caseira.

O kit "Sua Cervejaria" permite que o presenteado experimente o processo de brassagem e fermentação, criando diferentes sutilezas em suas cervejas, ou mesmo drásticas mudanças, ele(a) quem sabe. Presentaço de R$ 690,00 o Kit, e insumos por R$ 86,90. Fique por perto e beba cervejas de qualidade do seu amigo /parente!



O kit "Sua Cervejaria"é comercializado pela Mr Beer que tem quiosques nos principais Shoppping Centers de Florianópolis, e ainda conta com lojas em outros estados - Paraná, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Brasília e Rio Grande do Sul.

Telefone da Mr Beer do Continente Parkshopping em Floripa - 48-3094-9083.
Contato da Mr Beer, clique aqui...
Mr Beer Cervejas Especiais no Facebook, clique aqui...


Pernil, peru, bacalhau... Apesar de os pratos de Natal se repetirem todo final de ano, há, ainda, quem erre na hora de combiná-los com a bebida. Para evitar esse mico, que pode arruinar o jantar, conversamos com Jô Barros, sommelière do Sonoma. A especialista nos contou quais tipos de vinho escolher de acordo com o cardápio. Tem até sugestões para harmonizar com panetones.


Pernil, lombo e outras carnes de porco leves
A carne de porco tem sabor delicado, mas pode ser gordurosa. Então, o mais indicado é um vinho de sabor menos intenso e acidez elevada, como os espumantes, brancos mais leves (sem barrica), rosés delicados (como os da Provença) e tintos leves (como os Pinot Noirs).

Peru
Normalmente é servido assado (o que concentra sabores), recheado com farofa (que dá uma secada no prato) e com frutas para decorar (traz um toque agridoce). Nesse caso, fique com os brancos secos, com passagem por barricas (como os Chardonnays da América do Sul e suas notas untuosas e toques de baunilha ou até um Riesling demi-sec.). São excelentes escolhas, pois possuem sabores concentrados, acidez boa, mas não muito alta, e sempre deixam um sabor adocicado na boca.

Bacalhau
Existem muitas formas de se preparar um bacalhau, mas algumas características são comuns em todos os preparos: sabor forte, com toque salgado e bastante gordura, principalmente dos azeites de oliva. Esses tipos de prato pedem vinhos com mais intensidade de sabor, uma acidez elevada e nenhum tanino – que, quando entra em contato com o sal do bacalhau, traz sensações picantes e desagradáveis ao paladar. Considere desde um Champagne ou Cava até os vinhos brancos de grande estrutura.

Salpicão
É um prato de sabor muito peculiar, pois cada um faz de um jeito. Mas, com base na receita mais popular – que leva frango, cenoura, pimentões, seleta de legumes, passas, creme de leite e, algumas vezes, batata palha –, cheia de sabores, invista em Merlots, Syrahs, Chardonnays e Rieslings. Opte, também, por rótulos mais leves, como os Cabernets Sauvignon da Califórnia.

Nozes e castanha
Os vinhos de entrada, como os espumantes e rosés, são excelentes para acompanhar esse momento de petiscos. Mas vale lembrar que igual a uma harmonização com um Jerez não há!

Panetone
O maior clássico do final de ano, feito com frutas cristalizadas, é normalmente harmonizado com os doces espumantes Moscatel. Se o panetone for de chocolate, os vinhos do Porto tintos ou o francês Banyuls são as melhores escolhas.

Fonte: CJ


Num ano, a ASAE apreendeu 1,2 milhões de litros de vinho português adulterado. Alguns em restaurantes e outros em supermercados.

E se o seu alentejano preferido, que comprou para agradar aos amigos num jantar, fosse na realidade vinho espanhol? Alguns armazenistas nacionais estão a mandar vir produto espanhol para encherem garrafas que acabam por levar um rótulo falso de DOC (Denominação de Origem Controlada) português de qualquer região - Alentejo, Douro ou Bairrada, por exemplo. 

A situação está a preocupar as autoridades, confirmou ao DN um elemento da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), mesmo porque este é um dos setores de atividade mais relevantes para o país. No ano passado, as exportações de vinhos portugueses representaram 724,5 milhões de euros, segundo os dados do Eurostat, valendo já este ano, até junho, 314,4 milhões.

Trata-se de uma fraude transnacional que envolve grandes armazenistas e afeta todas as regiões vinícolas com DOC, como têm revelado as apreensões de vinhos adulterados pela ASAE. "Os grandes armazenistas engarrafadores têm armazéns em todas as regiões", explica Filipa Vasconcelos, do Núcleo de Operações da ASAE. O vinho espanhol é, por regra, menos denso e mais claro do que o português, pelo que alguns falsificadores "aproveitam as nossas uvas carregadas de cor e misturam-nas para incrementar o volume".

Fonte: DN


A força do álcool sobe no buque assim como especiarias, temperos. A cor é rubi escura e bem amanteigado. Na boca a adstringência vem em primeiro plano, seguido de sabor de frutas pretas intensas como ameixas e amoras. Esta primeira prova foi feita com o vinho descançando por uns 15 minutos, e ressaltando que é um DOCG corte safra 2007 italiano. Concluindo, a primeira impressão: um vinho de mesa caro e medianamente sofisticado.

Depois de alguns minutos, aproximadamente 40 minutos de descanso, este T'aspetto Chianti mostra para o que veio: um vinho de mesa simples. Então no  final das contas o valor de R$ 29,00 em Florianópolis é meio alto para um vinho de mesa. Mas vale a experiência, afinal, você só aprende e cria repertório bebendo. Saúde!


Beber ou não beber, eis a questão. A dúvida foi lançada recentemente após dois estudos canadenses terem sido publicados com ideias distintas sobre a mesma temática. 

Se, por um lado, os pesquisadores da Universidade de Alberta defendem que um copo de vinho tinto equivale a 30 minutos de exercício físico, os cientistas da Universidade de Queen dizem que o mesmo copo é suficiente para deitar por terra a atividade física feita. Afinal, em que ficamos?

Um copo de vinho tinto por dia é, muitas vezes, aconselhado pelos médicos. Sabe-se que o resveratrol, antioxidante encontrado naturalmente na pele das uvas vermelhas, pode ajudar a prevenir doenças cardíacas e aumentar os bons níveis de colesterol, mas, no que toca à vida de esportistas, os seus benefícios mostram-se contraditórios.

Recuemos, então, a 2012. Há cerca de dois anos, uma equipa de cientistas da Universidade de Alberta descobriu, após testes em ratos de laboratório, que a ingestão de resveratrol, presente no vinho tinto, é responsável pelo aumento do desempenho e pela melhoria das funções musculares e cardíacas da mesma maneira que um treino de resistência intenso o faz.

Embora os efeitos de um copo de vinho tinto sejam, segundo estes especialistas, equivalentes a meia hora de exercício físico, a pesquisa alerta para o fato de não se abdicar da prática esportiva, lê-se no Youth Healf. Para os envolvidos no estudo, o vinho tinto deve ser visto como um aliado daqueles que apresentam algum tipo de limitação na prática de exercício.

Contudo, surge este ano um outro estudo canadense, oriundo da Universidade de Queen, em mais uma recente investigação a qual expõe que, afinal, um copo de vinho tinto pode deitar por terra o exercício físico feito, conforme a pesquisa liderada Jason Dyck, diretor do Centro Cardiovascular de Pesquisa da Universidade de Alberta. 

Estes cientistas, porém, alertam para a necessidade de mais estudos e pesquisas para comprovarem que o vinho tinto reverte os efeitos vantajosos de uma rotina regular de exercícios.

Brendan Gurd, professor da Faculdade de Cinesiologia e Saúde Estudos da Universidade de Queen, diz que “a eficácia de resveratrol como forma de melhorar as funções metabólicas e cardiovasculares não é tão profunda como se pensava”, cita o site Medical Daily.

Para o estudo, a equipa de Gurd administrou doses diárias de resveratrol e placebo a 16 homens fisicamente ativos mas divididos em dois grupos. Os participantes passam de exercícios aeróbicos três vezes por semana, para treinos de alta intensidade (conhecidos como HIIT) também três vezes por semana, mas durante quatro semanas.

No final dessas quatro semanas, a equipa de investigação concluiu que o resveratrol tinha impedido os efeitos da atividade física. Enquanto os homens do grupo que recebeu placebo apresentaram certos benefícios associados ao exercício, os homens do grupo que ingeriu doses de resveratrol não mostraram melhorias durante os treinos de HIIT.

Estes dois estudos contradizem-se no seu ponto central, mas podem ser vistos como uma forma de ter ‘peso e medida’ na ingestão de determinados alimentos. Embora o estudo mais recente revele que necessita de novos testes, acaba por ir ao encontro de uma análise feita na Dinamarca e publicada no Journal of Physiology que indica que dieta rica em antioxidantes pode realmente anular muitos dos benefícios do exercício, incluindo a redução da pressão sanguínea e do colesterol.

Fonte: Noticias ao Minuto

Um Cabernet Sauvignon bem Argentino...

Como explicar esta afirmação? Simples, ultimamente os Argentinos tem se comportado como vinhos "porrada" que batem forte! Explicando: taninos "a mostra", ótimo buque, teor alcóolico alto, cor intensa e taninos. E este?  Segue à risca a receita com seus 14% de TA. 

Este La Espera foi comprado por impulso, pelo rótulo porque hoje estamos preparando uma janta anterior a chegada de nosso primogênito... O La Espera de Mendoza é um bom vinho de mesa, cai bem, é isso De todo modo saúde!

Está sendo uma empolgante espera, seja bem vindo meu filho!

Até final do ano os louros pertencem à espanhola Jerez de la Frontera. Mas, em 2015, para chegarem à nova Cidade Europeia do Vinho, os enoturistas nem precisarão alterar muito a sua viagem: o foco vai recair sobre uma "vizinha", situada no distrito de Évora.

Reguengos de Monsaraz (que tem como parceiros os municípios de Évora e de Elvas) foi a candidata escolhida, entre mais duas portuguesas, para ser o epicentro europeu da celebração da viticultura.

A escolha da cidade alentejana, numa iniciativa da Rede Europeia das Cidades do Vinho (Recevin) - a que pertencem nove países - e da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), foi decidida esta segunda-feira por um júri, reunido no âmbito da assembleia-geral da Recevin a decorrer em Jerez.

Depois de Espanha em 2014, cabia a Portugal centralizar a iniciativa no próximo ano, tendo a Recevin aceitado a candidatura alentejana mas também uma da Bairrada (integrando Cantanhede, Anadia, Mealhada, Águeda e Oliveira do Bairro) e outra de Monção-Melgaço.

Para José Calixto, presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, a eleição do seu município implica "uma enorme responsabilidade", comentou, citado pela Lusa. Considerando a distinção "um veículo de promoção importantíssimo", tanto para Reguengos como para o Alentejo, Calixto referiu que o júri ficou "visivelmente agradado" com o que lhe "foi mostrado". Ou seja, "todas as componentes que envolvem o concelho e o Alentejo", partindo "da biodiversidade e do ambiente e do Alqueva", passando pela "cultura, megalitismo e patrimônio, artesanato, gastronomia e turismo em espaço rural".

"Foi notório que estávamos divulgando uma região que o mundo talvez ainda não perceba do modo como julgamos que deve ser percebida", frisou Calixto, salientando que a candidatura foi "em nome de um Alentejo que deixou de ser o 'celeiro da Nação' e tem hoje outras "mais-valias"".

Na altura da apresentação da candidatura, Calixto referia que é "claramente uma aposta no turismo vitivinícola, numa região que tem vinhos de uma elevadíssima qualidade e numa região recentemente considerada pelo USA Today como a melhor região de enoturismo do mundo para visitar".

Já ao final da tarde desta segunda-feira, em comunicado oficial da autarquia de Reguengos, o responsável acrescentava: "Agora, teremos uma grande responsabilidade de fazermos uma boa programação durante o ano”.

A Cidade Europeia do Vinho 2015 inicia oficialmente em Reguengos de Monsaraz, no dia 21 de Fevereiro. Ao longo do ano, esperam-se eventos como o Congresso Internacional da Vinha e do Vinho, Congresso Internacional das Polifonias, Encontro Europeu de Confrarias Enogastronômicas ou o Mercado Esporão Slow Food Alentejo, a participação na Bolsa de Turismo de Lisboa e a instalação do espaço “Vinho com Arte” no Palácio Rojão (para "exposição, promoção, venda e provas de vinhos do conselho").

Entre a programação, estarão também estágios para jovens viticultores europeus com seminários dirigidos por especialistas e visitas a produtores de vinho da região, presença na loja da ANA – Aeroportos de Portugal e ações de promoção nos aeroportos nacionais e em certames internacionais.

Em paralelo, serão organizados vários eventos turísticos que se interligarão com o vinho, caso de observações astronômicas com provas ou jantares enogastronômicos, entre outras.

Um dos momentos mais simbólicos da programação ocorrerá com as colheitas noturnas de uvas, destinadas à criação de um vinho comemorativo da distinção.

Além de Espanha e Portugal, a Recevin integra membros da Alemanha, Áustria, Eslovênia, França, Grécia, Hungria e Itália - no total, quase 800 cidades unidas pela cultura do vinho.

Fonte: Fugas


A Kaiserdom tem cor de palha, com líquido super denso e translúcido. A espuma é generosa, alta, de cor branco-neve mas com buque neutro. Já no paladar o sabor dos maltes de trigo e cevada se pronunciam, com maior puxada para o trigo, mas aqui entra um ponto interessante: tradicionalmente todos procuram adicionar através da levedura o buque da banana. Sim existe uma levedura que faz isso, outras podem puxar até para a baunilha (usadas em iogurtes), mas voltado ao assunto, esta aqui faz um belo serviço e realmente puxa para a banana e canela.

Vale muito a pena!
Portugal atingiu o olimpo vinícola, segundo a “Wine Spectator”. O Douro tem o melhor e o terceiro melhor vinho do planeta. O líder da família Symington, Paul, que tornou isto possível, é um homem que gera um império no Douro com uma extensão de mais de mil campos de futebol em vinhas.


Bater italianos, franceses, chilenos, ou norte-americanos, autênticos craques quando a hora é de engarrafar néctares deliciosos em garrafas, não é para todos. Portugal conseguiu. Com estrondo e alguma surpresa. O topo da lista foi do Dow’s de 2011, um Porto “vintage”, e o terceiro lugar com um DOC (vinho de mesa com denominação de origem controlada). Ambos extraídos a partir das castas das 27 quintas de que os Symington detém no Douro. 

Paul Symington, que há dois anos foi considerado a personalidade mais relevante do setor dos vinhos, é um homem com nome bem inglês, mas que nasceu na ribeirinha freguesia portuense de Massarelos há 60 anos, junto com seu irmão e três primos, valem um quinto das vendas totais de vinho do Porto e controla uma empresa que fatura mais de 80 milhões de euros. 

Para ler na íntegra, acesse >>>

Fonte: Sapo



Inspirado no Pato na Laranja, adaptei a receita Francesa procurando equilibrar entre o original e adição do caipira Brasileiro. A seguir apresento a receita acompanhada de fotos em cada estágio, pois esta receita é recheada de pegadinhas, e tem um tempo de preparo bem relativo, tudo em paralelo...

Primeiro tempere o Frango, moela e fígado com sal puro e pimentas moídas. Então aqueça uma panela que tenha tampa e que caiba um frango inteiro, quando estiver aquecida (fogo alto) adicione alguns fios de óleo de canola (preferencialmente panela de teflon) e prossiga com a selagem do frango - todos os lados usando um garfo grande de churrasco para ajudar e evitar queimaduras.

Enquanto isso, dissolva um tablete de tempero de carne em uma chávena de água quente para adicionar ao final da selagem. Quando concluir a selagem, baixe o fogo, vire o frango para deixar o peito no fundo da panela, adicione a chávena com o tablete dissolvido, a moela e fígado e inicie o cozimento... Aqui entra uma opção - para deixar mais caipira o gosto adicione a cabeça, pés, coração e tal.



Agora em paralelo vamos ao suco da laranja,cozimento de cascas, preparo do molho e cozimento de batatas.

A foto acima resume os segredos das laranjas, siga a risca: 1o corte em duas partes as laranjas; 2o esprema o suco e reserve; 3o use a colher para retirar o miolo branco que tem de sair inteiro; e finalmente corte as cascas em fatias como acima.

Em panela (leiteria) coloque as cascas fatiadas para ferver, reserve o suco das laranjas em separado. e coloque as batatas descascadas para cozinhar. 


Nesta altura, quando a primeira fervura das cascas ocorrer, remova o frango para uma vasilha grande (a mesma em que será servido) e reserve. Então adicione na panela que nesta altura deve ter a gordura do frango ½ xícara de melaço de cana, ½ xícara de cachaça e misture em fogo alto. Coloque o frango de volta, e no momento em que a primeira água da laranja ferver coe as raspas e despeje esta água sobre o frango (para cozer e reduzir a gordura).

A foto acima mostra o frango com o peito para baixo (sempre para pegar mais tempero), com a primeira água de fervura das cascas.

Coloque novamente as cascas para ferver e despeje sobre o frango mais duas vezes. As batatas devem estar no ponto, reserve.



Depois de 1 hora e meia dependendo do tamanho do frango, adicione metade das cascas cozidas ao redor do frango e deixe uns 20 minutos para "derreterem".  Remova o frango e reserve novamente (no forno em fogo baixo), e na panela com o molho do cozimento adicione o suco de laranja (finalmente), o restante das cascas, e o suco do limão siciliano, suba o fogo, misture bem  e quando ferver coloque as batatas no molho - deixe uns 10 minutos. Como o molho deve ser agre-doce, prove e coloque algum sal e pimenta moída se achar necessário. 

É hora de montar o prato. Siga a foto rodeando de batatas o frango, despejando o molho por cima do mesmo com o toque final de salsa picada. Não precisa de acompanhamentos, apenas a batata, as cascas de laranja que surpreenderão e um vinho branco.



Aqui servimos a Galinha na Laranja com este Chileno Khipu, da uva Sauvignon Blanc que por ser bem plano - sinceramente achei que teria mais buque e notas frutadas - deixou o frango e seu tempero se sobressaírem de todo modo. Diria no entanto que este vinho é uma boa opção para o verão, servindo bem gelado é um bom vinho de mesa ou combate para final de tarde.

INGREDIENTES:
  • 1 Frango Inteiro - reserve o fígado e moela
  • Batatas Médias (3 para cada pessoa, aqui 8)
  • 3 Laranjas
  • 1 Limão Siciliano
  • ½ xícara de melaço de cana (melhor opção) ou 100g açúcar mascavo
  • Óleo de canola
  • ½ xícara de cachaça (cana de açúcar)
  • 1 tablete de caldo de carne
  • Mix de Pimentas
  • Sal
  • Salsinha picada

A revista Wine Spectator abre a sua edição com o ranking dos melhores vinhos do ano. O Dow's Vintage Porto 2011 é o melhor vinho do mundo deste ano, segundo o ranking anunciado pela revista Wine Spectator. Bruno Antunes, proprietário da Wine Man, diz que este é um vinho extraordinário. "É um vinho que é engarrafado depois de um envelhecimento de dois anos em madeira e que depois pode ficar a estagiar na garrafa durante muitos anos", disse ao DN.

O escanção recomenda a quem tem um vinho destes para guardar uma garrafa para abrir "daqui a 20 anos ou 30 anos". O escanção diz também que 2011 foi um ano muito bom. "Fez sol na altura certa e choveu na altura certa. Os vintage de 2011 são todos muito bons, até de pequenos produtores. É um dos anos do século. Este tem por trás uma grande casa, a Symington, e equipa." Uma garrafa deste vinho pode ser adquirida, no site da Garrafeira Nacional , por cerca de 89 euros. A lista dos 9 melhores vinhos já fora anunciada, mas para hoje estava reservada a revelação do primeiro classificado.

Fonte: DN
Façamos algo diferente, inspirados na degustação horizontal de vinhos, vamos provar o tradicional versus o novo.

A primeira prova iniciou-se com a tradicional Edelweiss que apresentou cor dourada intensa, espuma alta e branca com bolhas bem pequeninas. No paladar o sabor de frutas predomínio só veio à tona devido ao fermento (Weihenstephan normalmente) que cria o sabor de fundo de banana. Não percebi outras notas pronunciadas não, inclusive de malte. Porém é muito refrescante mesmo sem a pronúncia do amargor de lúpulo.

A segunda prova foi a termo com a Bodebrow. A cor é bem mais palha com tom pastel, a espuma é tão densa quanto a Edelweiss, mas no paladar surge a grande diferença. No início um sutil frescor de lúpulo que rapidamente traz o sabor de frutas cítricas - notadamente uma laranja muito bem equilibrada a ponto de não sobrescrever todo o resto. Também não traz sabor de malte ou o misto de trigo e malte puro, mas é uma grande diversão.




No final, diria que ambas se apresentam muito bem, são cervejas de qualidade mas não diria “gourmet”, até porque este título está muito banalizado... A Paranaense foi premiada em Blumenau como cerveja Ouro, e na Austrália foi vencedora de tornei internacional – traz TA de 5,2%. Já a Austríaca sem expressar prêmios ou peripécias pode ser denominada como uma purista - TA de 5,3%.


Bastidores, como foi realizada a degustação?

Partindo do modelo de degustação horizontal do vinho, o objetivo era de avaliar comparativamente duas cervejas de trigo de regiões (e culturas) distintas - servidas em taças de vinho tinto a aproximadamente 10oC para avaliar a coloração, espuma, buque e o gosto inicial e residual basicamente. O tradicional versus o novo. O ambiente, iluminação e parâmetros fotográficos foram preparados a prova, caso contrário o calor da luz de tungstênio aqueceria a bebida e arruinaria o buque e espuma... Mas foi isso, aguardem as próximas.



Em passagem por São Paulo, John Kapon, maior leiloeiro de vinhos do mundo, falou do milionário mercado de vinhos raros e de como transformou a pequena loja do pai na maior empresa de leilões de bebida.

O americano John Kapon está hoje entre os melhores olfatos para vinhos do mundo. Há quem defenda que é o melhor. Além da habilidade técnica na avaliação de bebidas, Kapon também é conhecido como o cara que rejuvenesceu a área. 

No livro The Compedium: Tasting the World´s Finest Wines, faz descrições nada convencionais, porém realistas (dizem)  de suas provas. Diz, por exemplo, que um determinado vinho "produz intensidade similar à da cocaína”. O despojamento da linguagem veio dos anos como produtor de hip-hop, atividade que o fez largar a faculdade no primeiro ano. 

Apesar do atual prestígio, Kapon não tem muitos amigos  na Sotheby's Wine Auction e na Christie's Wine Auction – as duas mais conceituadas casas de leilão do mundo. A distância entre ele e elas se abriu quando Kapon decidiu fazer seu próprio leilão. Até aí, nada demais. Nos EUA, há dezenas de pequenas casas de leilão de vinhos. 

O caso é que Kapon, aos 23 anos, fez o que ninguém fizera até então: procurou os vendedores mais tradicionais e lhes propôs vender seus vinhos sem cobrar taxa alguma deles. No modelo convencional, os vendedores entregam 25% do valor para a casa de leilões. O ano era 1994. Hoje, a casa de leilões Acker Merrall & Condit, o mesmo nome da loja de 200 anos da família de Kapon no bairro Upper East Side, de Nova York, é a maior do mundo no setor de vinhos, com 26% do mercado. Em passagem por São Paulo, onde viera para “beber bons vinhos com amigos brasileiros”, Kapon deu a seguinte entrevista a Época.

Para ler a entrevista na íntegra, acesse a revista Época.

Os vinhos, sobretudo os tintos, são ricos em polifenóis, que são potentes antioxidantes, ou seja, "varredores" de radicais livres. São eles os principais responsáveis pela ação anti-idade dos vinhos. Por isso, é fácil entender porque as pessoas com mais de 60 anos que têm o hábito regular de beber até duas taças de vinho durante as refeições envelhecem com melhor qualidade de vida.


O colágeno e a elastina são substâncias que dão consistência e elasticidade à pele; a colagenase e a elastase são enzimas que destroem o colágeno e a elastina, respectivamente, fazendo com que a mesma fique menos elástica. Os polifenóis do vinho bloqueiam a ação da colagenase e da elastase e, também, melhoram a microcirculação e a hidratação.

Antocianinas

As antocianinas, substâncias naturalmente encontradas nas cascas das uvas, são pigmentos de coloração azul, vermelha e violeta, responsáveis pela grande variedade de cores de frutas, flores e folhas. As antocianinas protegem e estimulam a renovação dos tecidos ricos em colágeno, que garante a firmeza e a elasticidade da pele e das paredes das artérias.

Estudos clínicos comprovam: as antocianinas protegem a pele contra o envelhecimento 

Um estudo conduzido em 2013 pela Universidade de Medicina de Chung Shan, Taiwan, e publicado na revista internacional Pharmaceutical Biology, demonstrou que as antocianinas reduzem as manchas na pele causadas pela radiação solar e reverte o aspecto de pele envelhecida.

Outro estudo realizado em 2013 pela Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Bangkok, Tailândia, e publicado no renomado jornal internacional BMC Complementary and Alternative Medicine, apontou que as antocianinas apresentam potente ação antiglicante, ou seja, impedem que o excesso de açúcar no sangue degrade o colágeno, acelerando o processo de envelhecimento cutâneo.

Fontes de antocianinas

A uva é a fruta onde essas substâncias são mais encontradas, porém a quantidade e a composição das antocianinas diferem de acordo com a espécie, variedade e forma de cultivo.

Lambrusco e Ancellotta: as uvas mais ricas em antocianinas

A uva Lambrusco é uma notável variedade, originária de uma região da Itália, com sabor indiscutível, que dá origem a vinhos preciosos e que pode conter até 1,9 gramas de antocianinas por quilo da fruta. Já a uva Ancellotta, outra variedade originária da mesma região da Itália, cujo sabor é levemente doce, pode conter até 2,3 gramas de antocianinas por quilo da fruta.

Em julho de 2013, na cidade de Fraiburgo, em Santa Catarina, foi realizado o Encontro Nacional sobre Fruticultura de Clima Temperado, onde foi citado um estudo que tinha como objetivo caracterizar os teores de antocianinas de variedades de uvas viníferas italianas em São Joaquim (SC). As variedades Ancellotta e Lambrusco se destacaram com elevado teor de antocianinas, no entanto, esses valores são baixos quando comparados com os obtidos em suas respectivas regiões de origem italiana.

Fonte: SEGS
A invenção dos amigos Kevin Boyer e Philip James utiliza sensores e aquecedores elétricos para acelerar a fermentação da bebida

Se você é apreciador de bebidas, em especial o vinho, você precisa conhecer a The Miracle Machine, uma máquina que produz a bebida derivada da uva a partir de ingredientes simples e pré-selecionados.

A invenção dos amigos Kevin Boyer e Philip James utiliza sensores e aquecedores elétricos para acelerar a fermentação da bebida, que pode ficar pronta em apenas 3 dias.

Segundo o Springwise, através do aplicativo instalado no smartphone o usuário pode escolher um dos seis tipos de vinho disponíveis, aplicando em seguida os ingredientes na máquina e monitorando todo o processo de fermentação no próprio app. Para quem se interessou, a máquina custará US$ 499, cerca de R$ 1.150.

Confira abaixo o vídeo de apresentação dos produtos ou pelo link http://vimeo.com/87328466:


Fonte: Administradores

Este Merlot Chileno traz boas surpresas. De cor rubi intensa, apresenta no rodopiar da taça grande sedosidade (é bem amanteigado), e traz à tona buque de especiarias e fundo leve de frutas vermelhas. A madeira é muito leve, trazendo taninos quase imperceptíveis. Uma grande surpresa em uma garrafa de vinho de ticket mediano.

Cai bem como um vinho para jantar um pouco mais sofisticado, e não apenas para o dia a dia ou combate (acompanhar o tempo complementar da festinha em casa). Este Reserva Gran Tarapacá exemplifica muito bem a Qualidade versus Benefício, e aqui em casa acompanhou uma massa super leve de molho de tomates frescos aquecidos.

Sai por R$ 35,00 a garrafa aqui em Floripa. Vinho Merlot, safra 2013 da região Valle del Maipo, TA 14%.
Para os que ainda não sabem como gelar cerveja em cerca de 3 minutos, aí vai um curto vídeo para ensiná-los.


Fonte: Galileu


Me perdoem os Irlandeses, mas esta Paranaense deu um pau nas Pretinhas de vocês. Esta Way traz no buque o cheio intenso do malte torrado, e sobre ela uma densa espuma de bolhas bem pequeninas variando para as grandes. Que dá vontade enorme de virar tudo em um só gole - muita calma nessa hora.

Embora traga este buque todo é muito sutil no paladar, bem cremosa e até diria suave para uma Porter, as notas de café e amêndoas surgem fechando todo o espetáculo. Como diz o Manezinho da Ilha - Coisa de Cinema.




Os apaixonados por vinhos  que estão sempre em busca de boas opções para experimentar já têm uma nova lista  para servir de inspiração para as próximas aquisições. Nesta semana, a revista Wine Spectator  divulgou o ranking  dos 100 melhores rótulos deste ano.

Em primeiro lugar, apareceu o Vinho do Porto Dow Vintage, de Portugal, seguido pelo australiano Mollydooker Shiraz McLaren Vale Carnival of Love, e, depois pelo Prats & Symington Douro Chryseia, também português.

Os editores da publicação avaliaram, ao longo do último ano, aproximadamente 18.000 rótulos do mundo todo e o ranking final traz os melhores de 14 países. Os critérios de seleção incluíram qualidade (baseada na pontuação), valor (preço praticado no mercado), disponibilidade (número de caixas produzidas ou importadas) e um “fator x” (singularidade e autenticidade).

Para chegar aos 100 finalistas, a revista pré-selecionou 5.400 vinhos marcantes, que obtiveram mais de 90 pontos na avaliação.

A média de preço das garrafas que conseguiram ficar entre as primeiras é de 47 dólares. O vinho mais barato da lista é o Bodegas Montecillo Rioja Viña Cumbrero Crianza, de 2010, que ficou em 62º lugar e custa apenas 10 dólares.

O mais caro da lista é o Ornellaia Bolgheri Superiore, que conquistou a 65º posição e vale 240 dólares. Segundo a revista, alguns desses rótulos saíram de edições limitadas das vinícolas, portanto não será tão fácil de achar por aí. Apesar disso, eles garantem que o rol pode ser uma boa referência para quem está à procura de novas experiências gustativas.


RankVinhoAnoPontosPreço
1Dow Vintage Port201199US$82
2Mollydooker Shiraz McLaren Vale Carnival of Love201295US$75
3Prats & Symington Douro Chryseia201197US$55
4Quinta do Vale Meão Douro201197US$76
5Leeuwin Chardonnay Margaret River Art Series201196US$89
6Castello di Ama Chianti Classico San Lorenzo Gran Selezione201095US$52
7Clos des Papes Châteauneuf-du-Pape201297US$135
8Brewer-Clifton Pinot Noir Sta. Rita Hills201294US$40
9Concha y Toro Cabernet Sauvignon Puente Alto Don Melchor201095US$125
10Château Léoville Las Cases St.-Julien201195US$165
11Mount Eden Vineyards Chardonnay Santa Cruz Mountains201195US$60
12Château Guiraud Sauternes201197US$50
13Fonseca Vintage Port201198US$116
14Fontodi Colli della Toscana Centrale Flaccianello201195US$120
15Bedrock The Bedrock Heritage Sonoma Valley201295US$42
16Two Hands Shiraz Barossa Valley Bella's Garden201295US$69
17Soter Pinot Noir Yamhill-Carlton District Mineral Springs Ranch201295US$60
18Château Doisy-Védrines Barsac201195US$35 / 375ml
19Luca Malbec Uco Valley201293US$32
20Peter Michael Chardonnay Knights Valley Ma Belle-Fille201295US$90
21Castello di Volpaia Chianti Classico Riserva201093US$29
22Podere Sapaio Bolgheri Volpolo201193US$35
23St.-Cosme Châteauneuf-du-Pape201096US$59
24Massolino Barolo200995US$60
25Bodegas y Viñedos O. Fournier Malbec Uco Valley Alfa Crux201094US$54
26Emeritus Pinot Noir Russian River Valley Hallberg Ranch201193US$42
27Quinta do Portal Douro Colheita201192US$15
28Château de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape201194US$97
29Hamilton Russell Pinot Noir Hemel-en-Aarde Valley201293US$46
30DuMOL Syrah Russian River Valley201294US$55
31Tommasi Sangiovese-Cabernet Sauvignon Toscana Poggio al Tufo Rompicollo201192US$18
32Hidden Ridge Cabernet Sauvignon Sonoma County 55% Slope200993US$45
33Orin Swift Machete California201293US$48
34La Rioja Alta Rioja Viña Ardanza Reserva200592US$30
35Amavi Cabernet Sauvignon Walla Walla Valley201192US$29
36Marcassin Pinot Noir Sonoma Coast Marcassin Vineyard200997US$125
37Giuseppe Cortese Barbaresco Rabajà201094US$55
38Aubert Chardonnay Russian River Valley Eastside201295US$80
39Oddero Barolo201093US$49
40Loosen Bros. Riesling QbA Mosel Dr. L201291US$12
41Rombauer Chardonnay Carneros201292US$34
42Lapostolle Clos Apalta Limited Release Colchagua Valley201094US$89
43Charles Smith Riesling Columbia Valley Kung Fu Girl Evergreen201391US$12
44Viña Cono Sur Cabernet Sauvignon-Carmenère Colchagua Valley201191US$14
45Tikal Patriota Mendoza201291US$23
46Turley Zinfandel California Juvenile201291US$20
47Luce della Vite Toscana Luce201195US$105
48Fincas Patagonicas Malbec Mendoza Zolo Reserve201291US$19
49Trimbach Riesling Alsace201291US$25
50Abadia Retuerta Viño de la Tierra de Castilla y León Sardon de Duero Selección Especial201092US$35
51Giuseppe Rinaldi Barolo Brunate201097US$129
52Herman Story Grenache California On the Road201193US$42
53Ponzi Pinot Noir Willamette Valley Tavola201291US$25
54Mumm Napa Brut Napa Valley PrestigeN91US$22
55Veramonte Cabernet Sauvignon Colchagua Valley El Caballero201190US$12
56João Portugal Ramos Alentejo Ramos Reserva201290US$13
57Viña Bisquertt Syrah Colchagua Valley La Joya Gran Reserva201290US$13
58TwentyFour Cabernet Sauvignon Napa Valley201093US$112
59Peter Lehmann Clancy's Barossa201190US$15
60St.-Urbans-Hof Riesling QbA Mosel Old Vines201290US$16
61De Martino Cabernet Sauvignon Maipo Valley Legado Reserva201192US$17
62Bodegas Montecillo Rioja Viña Cumbrero Crianza201090US$10
63Buitenverwachting Sauvignon Blanc Constantia Bayten201390US$15
64Cune Rioja White Monopole201390US$15
65Ornellaia Bolgheri Superiore201196US$240
66Fowles Shiraz Victoria Are You Game?201291US$17
67Tohu Sauvignon Blanc Marlborough Single Vineyard201390US$13
68Godelia Mencía Bierzo201092US$21
69Feudo di Santa Croce Primitivo di Manduria LXXIV201091US$22
70D. Kourtakis Assyrtiko Santorini Greek Wine Cellars201290US$13
71Roar Pinot Noir Santa Lucia Highlands Rosella's Vineyard201293US$52
72Château Lilian Ladouys St.-Estèphe201190US$19
73Gérard Bertrand Syrah-Grenache Languedoc201190US$19
74di Majo Norante Molise Ramitello201190US$18
75Disznókó´ Tokaji Aszú 5 Puttonyos200694US$49 / 500ml
76Vietti Barbera d'Asti Tre Vigne201290US$17
77E. Guigal Côte-Rôtie Château d'Ampuis201097US$206
78Acrobat Pinot Noir Oregon201290US$20
79Marqués de Griñon Cabernet Sauvignon Dominio de Valdepusa201093US$40
80Nino Negri Valtellina Superiore Quadrio201090US$20
81Domaine de Triennes Vin de Pays du Var St.-Auguste201090US$20
82Mulderbosch Faithful Hound Stellenbosch201191US$25
83Round Pond Estate Sauvignon Blanc Rutherford201390US$24
84Bodegas Marqués de Murrieta Rioja Castillo Ygay Gran Reserva Especial200594US$89
85Masciarelli Montepulciano d'Abruzzo Marina Cveti S. Martino Rosso201091US$25
86Pali Wine Co. Pinot Noir Santa Barbara County Huntington201290US$23
87Firriato Sicilia Santagostino Baglio Soria Red201191US$23
88Christian Moreau Père & Fils Chablis201291US$31
89Carol Shelton Zinfandel Mendocino County Wild Thing Old Vine201190US$19
90Domäne Wachau Grüner Veltliner Federspiel Trocken Wachau Terrassen201290US$14
91Domaine La Barroche Châteauneuf-du-Pape Pure201295US$78
92Vecchia Cantina di Montepulciano Vino Nobile di Montepulciano Incanto201090US$15
93Recanati Cabernet Sauvignon Galilee201290US$17
94Château Lamartine Cahors201190US$19
95Antonio Barbadillo Manzanilla Sanlúcar de Barrameda SolearN90US$15
96Domaine Gerovassiliou Epanomi White201390US$22
97Tenuta delle Terre Nere Etna201290US$22
98Domaine Terlato & Chapoutier Shiraz-Viognier Victoria201290US$19
99Loimer Grüner Veltliner Qualitätswein Trocken Kamptal201291US$22
100Saint Clair Pinot Noir Marlborough Pioneer Block 16 Awatere201292US$31


Fonte: EXAME