Degustação com Ensaio: Belgas, Brasileiros e Japoneses



Uma degustação bem diferente - Cervejas e Fotografia. Misturando o modo tradicional de fabricar cervejas, e de fotografar. Primeiro apresento as fotos da Brasileira Eisenbahn versus a Belga Maredsous, através da Pentax K-30 armada com lente 50mm 1.7, e depois pela Fujifilm XE1 munida com lente 35mm 1.4. Apreciem!

Acima a foto da Pentax K-30 apresentando os rótulos da Eisenbahn Dunkel, e da Maredsous Abadia. Um grande contraste é presente, tonalidades fortes, e ótimo bokeh  tirando de foco os objetos, e partes dos mesmos que não compõem o primeiro plano. Parâmetro da foto: abertura f2, velocidade 1/30, ISO 400.

Agora iniciando a descrição das cervejas.. Vamos aos preços: aqui em Florianópolis temos R$ 4,80 da Brasileira versus R$ 15,00 na Belga...



Na direita a Belga Maredsous, seguindo a tradicional receita Beneditina de cervejas de alta fermentação e teor alcóolico (8%), onde a cerveja é fermentada na garrafa por dois anos. E embora seja de alto teor alcóolico, é bem sutil o fundo do álcool, prevalecendo o amargor do lúpulo e gosto do puro malte. A cor é de um marrom meio escuro, a espuma é densa e espessa, e o buque bem típico de cerveja de longos períodos de fermentação - algo como um amargor constante. Baita!

Falando da foto, a Pentax K-30 não traz a fidelidade da diferença de tonalidade entre as cervejas, porém deixa um toque meio nostálgico, e porque não dizer romântico? Parâmetros: abertura f3.2, velocidade 1/30, e ISO 400.



Agora através do conjunto Fuji XE1 com lente 35mm f1.4. A nitidez de detalhes é maior, talvez pois a lente é projetada para máquina digital, e certamente devido ao sensor da Fuji não conter o filtro AA (anti aliasing). Já na Pentax, contamos com uma máquina digital (ambas são 16 megapixel), mas com uma lente da década de 90, para máquinas de filme. Mas o fato é, a Fuji ganha em "claridade" e nitidez. Parâmetro da foto: abertura f2.6, velocidade /30 e ISO 500.


Nesta foto através da Fuji, a gama de cores e tonalidades é visível, temos a Belga (direita) versus a Brasileira (esquerda), onde podemos notar a cor de caramelo da Abadia, contrastando com o chocolate da Dunkel. A Eisenbahn Dukel segue lei da pureza Alemã, intitulada "Reinheitsgebot" (descrita no rótulo), onde apenas água, puro malte e lúpulo são permitidos na produção desta cerveja, além de muita paciência para a cerveja fermentar e dar certo! A Dunkel traz um grande teor de café, com tons torrados e próximos ao chocolate. O buquê é simples demais para uma cerveja dita prêmium, mas vale a noite! Parâmetros: abertura f2.8, velocidade 1/30 e ISO 500.

Resultado? São cervejas muito boa e fortes. Cada qual no seu estilo, mas que fazem sentido no estoque de cervejas para ajudar a passar o inverno. Já quanto as câmeras? Cada qual no seu estilo, idem. A Fuji é excelente para os amantes do purismo fotográfico, que tem tempo para ajustar cada parâmetro. Já a Pentax é uma máquina de campo, com características robustas (resistente a pancadas, poeira e chuva), e com grande ergonomia permitindo manipular toda a máquina com rapidez.

INGREDIENTES:
Pentax K-30:
  • 16 Megapixel;
  • Corpo resistente a poeira, chuva e choques (corpo de aço inox, policarbonato e borracha);
  • Film Simulation usado: cromo (negativo);
  • JPG processado na máquina (sem Photoshop ou pós processamento);
  • Lente 50mm f1.7 (da época do filme, comprei em 1999 nos EUA e no caso da Pentax as lentes dos anos 1960 até hoje são compatíveis - baita!)
Fujifilm XE1:
  • 16 Megapixel;
  • Corpo de Alumínio e pegas em couro;
  • Film simulation: Provia (cores de médio contraste);
  • JPG processado na máquina (sem Photoshop ou pós processamento);
  • Lente 35mm f1.4;
.