Vinho estragado, e agora? Parte 1


Que baita noite... Tudo preparado para um jantar em família com a presença especial de um Rosé Português acompanhando uma Coxa de Peru assada no forno, com arroz preparado no damasco, farofa e um frio muito agradável. Mas o vinho estava estragado, e agora?

Talvez estejam perguntando como diagnostiquei... Seguem as dicas:

  • Cor aproximando de tijolo (bem difícil de perceber em um rosé);
  • Sem sedosidade alguma;
  • Sem buque ou cheiro de vinho, realmente estranho;
  • Gosto forte caminhando para "vinho do porto";
  • Nenhuma presença de sabor de uvas, ou fragrâncias de frutas, flores ou madeira.

Estou com a garrafa guardada na geladeira, obviamente subtraindo as duas pequenas taças onde provei e tirei a foto acima, e outra que usei para regar  a Coxa de Peru . Estou com o Cupom Fiscal guardado por sorte, mas vamos ver a política de troca do Supermercado Hippo de Florianópolis.

Cenas dos próximos capítulos... 
.