Zalec, na Eslovênia, é a cidade que vai abrigar a primeira fonte pública de cerveja da Europa, segundo informa o Jornal de Notícias, de Portugal.

Resultado de imagem para zalec, eslovenia

O município fica a 60km da capital do país, Ljubljana. A construção, discutida desde 2013 e aprovada neste mês, custará 350 mil euros - metade pago pelos cofres públicos, metade por doações particulares.

Apesar de ser uma fonte "pública", três rodadas de cerveja em uma caneca personalizada devem custar por volta de 7 euros.

Por ser um local com vários campos de lúpulo, planta usada como ingrediente na produção de cerveja, Zalec se tornou uma escolha óbvia para a construção da fonte.

A obra ainda não tem um momento previsto para ser iniciada.

A temperatura para se servir os vinhos sempre gera dúvidas aos apreciadores. 

Para auxilar nesta tarefa, segue abaixo uma tabela resumida e muito intuitiva, que expõe as temperaturas indicadas para alguns dos principais tipos;

Aproveitem!


Fonte: The Herald


Alguns dos vinhos feitos em Gaillac, na região francesa de Midi-Pyrénée, têm um processo de fermentação raro, o que faz da visita às vinícolas da região um passeio exclusivíssimo.

Trata-se da Gaillacoise – método natural de segunda fermentação na garrafa que deixa o vinho mais doce, sem adicionar nada à bebida.



De acordo com o Manoel Beato, chefe sommelier do grupo Fasano, isso só é feito em algumas poucas regiões do mundo. O método também é chamado de ancestral.

Castelos, vinícolas e cidades medievais! Descubra o roteiro pela região de Midi-Pyrénée.

De acordo com Beato, a região abriga vários tipos de uvas, "São vinhos mais rústicos, alguns de bastante corpo e brancos secos desde os mais redondos aos mais secos. Os tintos são com excelente corpo, bastante tanino, muito interessante para mesa se equilibra com a comida. Os brancos são bastante diferentes em aromas com força na boca, aromas peculiares."

Entre as uvas estão algumas típicas, como os tintos bracol, e algumas bem conhecidas, como shiraz e merlot. Nos brancos, as uvas comuns por lá são Mauzac, Loin de l'œil et Ondenc en blanc. 

Em geral, o brasileiro não vai encontrar com facilidade vinhos dessa região em restaurantes do Brasil.

O jeito é visitar essa região francesa prá lá de especial, passar por castelos, cidades medievais, picos nevados e acabar o sacrifício com uma degustação em Gaillac.

Fonte: R7
Ostras frescas são como aquelas pessoas de personalidade forte: não é todo mundo que quer ser amigo. Mas quando encontram quem lhes entenda... No que diz respeito ao vinho, a ostra pode ser difícil pela alta presença de iodo e sal. 


Com um tinto tânico ou branco encorpado, a combinação é desastrosa, sensação semelhante à de lamber uma chapa de metal. Ostras pedem vinhos de muito frescor, o que elimina boa parte deles. Já com cervejas, a combinação é mais fácil. A maioria encara bem o sal e ainda consegue lavar o iodo da boca.

Seguindo a lógica da harmonização por geografia, vinhos produzidos em regiões próximas ao mar vão bem com as ostras. O Chablis é grande escolha, com sua acidez e o caráter de mineralidade marcantes. Mas em tempos de orçamento apertado, boa alternativa é o Muscadet, que para alguns especialistas faz as vezes do limão como tempero do prato. As melhores opções vêm de Sèvre-et-Maine e são rotulados “sur lie” – ou seja, sobre as leveduras usadas na fermentação. 

Outros brancos com boa acidez também combinam, caso do Pinot Grigio da Itália e do Albariño da Galicia, região no norte da Espanha. A harmonização clássica de Bordeaux pede um Sauvignon Blanc jovem, sem passagem por madeira. 

Com as cervejas, o clássico dos clássicos é escoltar ostras com uma Guinness. A parceria, histórica e geográfica, data do século 18 na Irlanda e hoje é tema de festival anual em Galway. Mas a bebida oferece infinitas possibilidades, com boa oferta de exemplares condimentados, que dispensam outros temperos, e as ácidas, que dispensam o limão.

Sugestões de vinhos
Lolo Albariño 2013 - Espanha
La Griffe Bernard Chéreau Muscadet Sèvre et Maine Sur Lie 2014 - França
Chablis 2014 Domaine de Gautheron - França

Sugestões de cervejas
Estrella Damm Inedit - Espanha
Guinness - Irlanda
Tupiniquim Funky & Sour - Brasil

Fonte: Paladar

De 20 a 22 de Maio, o Rio vai transformar-se na capital brasileira do vinho português. O evento muda-se para a Barra da Tijuca, uma das regiões que mais cresce no Rio de Janeiro e principal sede dos próximos jogos olímpicos. A 3ª edição do Vinhos de Portugal no Rio realiza-se no Casa Shopping, uma referência em decoração e gastronomia do bairro carioca.

Em 2015, o evento levou mais de 10 mil brasileiros e 75 produtores de vinhos portugueses ao Jockey Club, na zona sul do Rio de Janeiro.

Este ano, os visitantes terão oportunidade de degustar vinhos portugueses num ambiente descontraído em contato com os produtores. Haverá ainda provas, cursos e harmonizações com os críticos dos dois jornais e com o único Master of Wine brasileiro, Dirceu Vianna Júnior, e uma sessão de mercado só para profissionais. Um dos sucessos da edição de 2015, o espaço Tomar um Copo, com conversas informais de meia hora sobre as regiões e vários aspectos da produção e degustação de vinhos, vai ter ainda mais sessões. Um suplemento especial sobre as regiões e os vinhos portugueses será publicado no Globo na véspera do evento. 

Para maiores informações, acesse o site do O Globo >>>>

Fonte: Público PT e O Globo