Vinho ou carne de primeira?


Na busca por produtos de alto luxo, criadores de gado na França desenvolveram uma nova técnica que promete fazer sucesso entre os restaurantes parisienses. Os animais estão sendo alimentados também com vinho, além da alimentação tradicional. A carne chama-se 'Vibovin' e promete fazer sucesso.

A experiência começou com três vacas que passaram quatro meses a ingerir primeiro uma mistura de uvas e água e depois vinho Mourgues des Saint-Genies. De acordo com o autor da ideia, Jean-Charles Tastavy, os animais aparentavam estar mais felizes e que a carne, resultante desta nova experiência, é bem mais suculenta.

A dosagem para cada animal é proporcional a de um ser-humano, que equivale de 2 a 3 taças por dia, e para os animais fica entre um litro e um litro e meio por dia. Conforme o renomado chef Laurent Pourcel, uma estrela Michelin, que está entre os entusiastas desta carne de luxo, "Ela tem uma textura muito especial - bonita, marmorizada e tenra e que carameliza durante a confeção. Todos os melhores restaurantes parisienses a vão querer", afirmou.

A ideia segue um modelo usado pelos criadores japoneses do gado Wagyu, que dão cerveja aos animais para conseguir o bife Kobe, que é considerado um dos melhores do mundo. A promessa de carne de vaca alimentada com vinho garanta um produto ainda mais luxuoso.

No entanto, o aumento dos custos de produção levará a uma subida do preço da carne em até 100 euros por kg, quando comparado com um quilo de carne comum, que custa cerca de 17 euros.
.