Bandeiras, Barbera 2010 - Espetacular - from Goiás



Semana passada estive com um grande amigo meu e apreciador de bons vinhos, Fernando, e fui presenteado com duas garrafas de uma vinícola que recém lançou dois rótulos. O mais surpreendente é que esta vinícola está no estado de Goiás, na cidade de Cocalzinho. 


De início fiquei desconfiado mas logo fui muito bem convencido por este conhecedor de bons rótulos. E outra, não se deve recusar presentes hehehe. A iniciativa foi do médico otorrinolaringista Marcelo de Souza, proprietário da Pireneus Vinhos e Vinhedos, que sempre sonhou em produzir vinhos de qualidade. 

Durante os anos de 2003 e 2004 buscou no estado o terroir perfeito para implantar seu vinhedo (altitude, umidade,...). Em 2005 achou um pedaço de terra localizado no Vale dos Pireneus, de apenas quatro hectares, onde cultiva quatro variedades de uvas (Barbera, Syrah, Tempranillo e Sangiovese). O que começou a cerca de nove anos se tornou realidade em dois rótulos, Bandeiras e Intrépido, ambos da safra de 2010.

Hoje falaremos do Bandeiras. Nomado em homenagem aos bandeirantes, que foram os descobridores da Serra dos Pireneus em 1727. Elaborado com 85% de Barbera, 10% de Tempranillo e 5% de Sangiovese, metade do vinho amadureceu por seis meses nas barricas americanas e francesas que abrigaram o Intrépido. Ou seja, de segundo uso. Resultando em um vinho muito bom.

No copo, escuro intenso, e no nariz, caramelo e carvalho tostado. Apesar dos 15% de álcool, não aparenta tal potência. Na boca, leve, elegante e estruturado, diferente dos Barberas conhecidos. Este vinho surpreendeu pela elegância e força. Realmente não tem nada a ver com os barberas que estão na praça. Firme e com taninos médios, o vinho é longo e intenso. Frutas negras estão lá com certeza, ameixas e o adocicado de tâmara surpreendem.

Importante, foram produzidas somente 1.500 garrafas a um preço é de R$ 75,00, que valem cada gota. Corra para adquirir o seu porquê realmente vale a pena.

Para maiores informações: pireneusvinhos@gmail.com

8 comentários:

Anônimo disse...

Olá Guilherme,
Bom saber que temos vinhos em Goiás. No entanto, acho que quando você diz que não tem nada a ver com Barberas conhecidos, ou encontrados na praça, quer se referir a Barberas fracos, sem expressão, daqueles encontrados em supermercados. Eu duvido que o vinho relatado possa competir com Barberas de produtores como Luciano Sandrone, Elio Altare, Seghesio, Luigi Coppo ou Vietti. Esses produzem Barberas de verdade.
Abraços, Marco Antônio (Goiânia)

Guilherme Queiroga disse...

Com certeza Marco Antônio. Os grandes produtores, os bons barberas, com certeza são campeões. Mas realmente o Bandeiras é um vinho diferente. Vale a pena experimentar e quando o fizer, poste aqui relatando. Abraços e bons vinhos.

Anônimo disse...

Olá, Guilherme,
Participei de uma incrível degustação às cegas de Barberas há 3 meses na mais antiga confraria de Goiânia. Uma amostra de barril do Bandeiras 2011, ainda não lançado, foi o campeão c/ 94,5 pts , batendo M. Chiarlo Le Orme 2009 90,3 pts, Massolino 2010 89,3 pts e Pio Cesari 2009 92,4 pts deixando a todos boquiabertos.

Um enoabraço.
Henrique

Guilherme Queiroga disse...

Henrique, legal saber disso. Realmente me surpreendi com o Bandeiras. De alta qualidade, muito bem feito. Espero que a produção aumente para os próximos anos e seja mais fácil de encontrá-lo por ai.

Bons vinhos.
abcs

Anônimo disse...

Barbera nacional de Goiás com 94,5 pontos? Peraí!?!! Essa confraria deve ser a mesma que elegeu o Toro Loco como melhor do mundo.
Saludos,
Miguel

Anônimo disse...

Atualizando:
Revista BACO dez 2012 - Melhor do Brasil - Bandeiras 2010 top 5 tintos acima 60 reais.
Revista PRAZERES DA MESA jan 2013 - Bandeiras 2010 - top 100 2012, nota igual Pio Cesare Barbera 2009.

Detalhe!! Amostra barril Bandeiras 2011 muito superior ao vinho 2010.

Enoabraço.
Henrique

Anônimo disse...

Felizmente os tintos goianos nasceram falando grosso. Esta semana eu e meu mano "arriamos" um Bandeiras e "acalmamos" um Intrépido. Parabéns ao doutor pela produção das generosas "ampolas"! Gol de placa.

Curitiba, 23/abr/2013

Gustavo Jota disse...

Guilherme, que bom saber que Goiás está produzindo vinho... Sabe, fiquei curioso se no Sítio do meu Pai, ou aquelas redondezas com muita pedra, certo frio e regime de umidade bem diferenciado do clima tropical abrigariam vinhas...

Mas me diga, tem para vender em Brasília?