Nova Zelândia aposta em vinhos para atrair visitante

Com uma exportação de vinhos que cresce cerca de 25% a cada ano, a Nova Zelândia aposta também em suas mais de 500 vinícolas para atrair visitantes internacionais. Para isso, a Associação de Vinícolas da Nova Zelândia assinou parceria com a Air New Zealand, companhia aérea nacional que atua como embaixadora do país internacionalmente, para promover o país como destino também no segmento vinícola. A parceria focará a promoção das vinícolas neo-zelandesas nos mercados norte-americano e asiático, não apenas nos voos da Air New Zealand mas também em eventos para trade e consumidores nos Estados Unidos, Canadá e China. “Nos últimos cinco anos mais de um milhão de visitantes internacionais conheceram nossas vinícolas e vinhedos, enquanto muitos outros em todo o mundo puderam experimentar nosso excelente vinho”, disse o CEO da Air New Zealand, Chritopher Luxon. 

Destinos , Villa Maria, em Auckland, é uma das três maiores vinícolas do país

O presidente da Associação de Vinícolas do país, Philip Gregan, comemorou a parceria e destacou que os turistas motivados pela apreciação de vinhos gastam, em média, três vezes mais que o turista internacional médio em visita à Nova Zelândia. “A parceria com a Air New Zealand será benéfica tanto para atrair mais visitantes para o país quanto para apoiar a exportação de nossos vinhos internacionalmente. Acreditamos que será vantajosa tanto para a Air New Zealand quanto para a indústria vinícola, reforçando a marca de nosso país no Exterior”, analisou Gregan. 

A Nova Zelândia tem dez principais regiões produtoras de vinhos, nas ilhas Norte e Sul, sendo reconhecida internacionalmente pela produção de sauvignon blanc, pinoir noir e pinor gris. A produção de vinhos emprega cerca de 16,5 mil pessoas no país e movimenta aproximadamente NZ$ 1,5 bilhão ao ano (NZ$ 1 = US$ 0,98). Austrália, Grã-Bretanha e Estados Unidos são os três principais importadores do vinho da Nova Zelândia. 

Fonte: Panrotas
.