A Cidade Europeia do Vinho 2015 fica no Alentejo

Até final do ano os louros pertencem à espanhola Jerez de la Frontera. Mas, em 2015, para chegarem à nova Cidade Europeia do Vinho, os enoturistas nem precisarão alterar muito a sua viagem: o foco vai recair sobre uma "vizinha", situada no distrito de Évora.

Reguengos de Monsaraz (que tem como parceiros os municípios de Évora e de Elvas) foi a candidata escolhida, entre mais duas portuguesas, para ser o epicentro europeu da celebração da viticultura.

A escolha da cidade alentejana, numa iniciativa da Rede Europeia das Cidades do Vinho (Recevin) - a que pertencem nove países - e da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), foi decidida esta segunda-feira por um júri, reunido no âmbito da assembleia-geral da Recevin a decorrer em Jerez.

Depois de Espanha em 2014, cabia a Portugal centralizar a iniciativa no próximo ano, tendo a Recevin aceitado a candidatura alentejana mas também uma da Bairrada (integrando Cantanhede, Anadia, Mealhada, Águeda e Oliveira do Bairro) e outra de Monção-Melgaço.

Para José Calixto, presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, a eleição do seu município implica "uma enorme responsabilidade", comentou, citado pela Lusa. Considerando a distinção "um veículo de promoção importantíssimo", tanto para Reguengos como para o Alentejo, Calixto referiu que o júri ficou "visivelmente agradado" com o que lhe "foi mostrado". Ou seja, "todas as componentes que envolvem o concelho e o Alentejo", partindo "da biodiversidade e do ambiente e do Alqueva", passando pela "cultura, megalitismo e patrimônio, artesanato, gastronomia e turismo em espaço rural".

"Foi notório que estávamos divulgando uma região que o mundo talvez ainda não perceba do modo como julgamos que deve ser percebida", frisou Calixto, salientando que a candidatura foi "em nome de um Alentejo que deixou de ser o 'celeiro da Nação' e tem hoje outras "mais-valias"".

Na altura da apresentação da candidatura, Calixto referia que é "claramente uma aposta no turismo vitivinícola, numa região que tem vinhos de uma elevadíssima qualidade e numa região recentemente considerada pelo USA Today como a melhor região de enoturismo do mundo para visitar".

Já ao final da tarde desta segunda-feira, em comunicado oficial da autarquia de Reguengos, o responsável acrescentava: "Agora, teremos uma grande responsabilidade de fazermos uma boa programação durante o ano”.

A Cidade Europeia do Vinho 2015 inicia oficialmente em Reguengos de Monsaraz, no dia 21 de Fevereiro. Ao longo do ano, esperam-se eventos como o Congresso Internacional da Vinha e do Vinho, Congresso Internacional das Polifonias, Encontro Europeu de Confrarias Enogastronômicas ou o Mercado Esporão Slow Food Alentejo, a participação na Bolsa de Turismo de Lisboa e a instalação do espaço “Vinho com Arte” no Palácio Rojão (para "exposição, promoção, venda e provas de vinhos do conselho").

Entre a programação, estarão também estágios para jovens viticultores europeus com seminários dirigidos por especialistas e visitas a produtores de vinho da região, presença na loja da ANA – Aeroportos de Portugal e ações de promoção nos aeroportos nacionais e em certames internacionais.

Em paralelo, serão organizados vários eventos turísticos que se interligarão com o vinho, caso de observações astronômicas com provas ou jantares enogastronômicos, entre outras.

Um dos momentos mais simbólicos da programação ocorrerá com as colheitas noturnas de uvas, destinadas à criação de um vinho comemorativo da distinção.

Além de Espanha e Portugal, a Recevin integra membros da Alemanha, Áustria, Eslovênia, França, Grécia, Hungria e Itália - no total, quase 800 cidades unidas pela cultura do vinho.

Fonte: Fugas
.