Como foi o Seu São José Food Truck?

Demorei para publicar esta matéria do Food Truck São José pois o assunto Food Truck tem gerado muita polêmica aqui em Florianópolis e Região. Portanto decido apresentar uma matéria que apresenta cronologicamente o evento, e ao longo das fotos deixar claro o meu registro sobre tudo que rolou na edição de São José.

Primeiramente cabe a introdução que o Food Truck em Florianópolis é experimental, são eventos ocasionais enquanto a legislação definitiva não sai. O contraponto é São Paulo onde o Prefeito Haddad já resolveu a questão (acesse a matéria na íntegra aqui), e os espaços públicos podem ser explorados para a atividade, e com uma grande ressalva: é proibida a venda de bebidas alcoólicas no cotidiano exceto em eventos, e mediante liberação específica. Jaz os Bier Trucks.



Voltando ao nosso "causo"... O evento em São José recebeu críticas devido as longas filas, lotação generalizada, infra-estrutura de máquinas de cartão de crédito /débito, preços e até o FHC (culpa dele, só podia).


Pois bem, ocorre que quem compareceu com pontualidade Britânica no evento que iniciava às 16:00, não pode se queixar de praticamente nada. Nada. NADA. Era visível a calma, tranquilidade e descontração das famílias que deixavam seus filhos soltos ao redor da mesa.



Esta foto do Pão Mané deixa claro que pontualidade não faz mal a ninguém, e que havia espaço de sobra para circular e pedir o seu "pãozênho", como diz o mané, sem o encosta encosta que viria mais tarde.




Já em relação aos preços, vamos refletir: Nas praias durante o Verão, ou mesmo na abertura de Carnaval do Berbigão do Boca as Skol, Brahma e afins são vendidas quase frias por R$ 5,00. E aqui temos uma Cerveja Artesanal, especial, produzida e vendida fresquinha por apenas R$ 6,00 os 300ml.

Não me parece um caso de ganância capitalista, embora todos trabalhemos para obter lucro, me parece um problema de percepção de que produtos comercializados na Rua, a exemplo de Camelôs, tem de ser necessariamente baratos. Friso ainda que esse pessoal paga impostos, funcionários e aquisição de caminhões /equipamentos - os ambulantes da cerva de cinco reais não. Ponderem.


Continuando no quesito preço, o Mullate foi outro que mostrou preço muito compatível, e que ainda por cima trazia um cardápio super elaborado de Drinks com base em cafés e chás.

Recomendo o Café, lá em São José curti um espresso curto enquanto realizada a cobertura fotográfica do evento.



Já eram 17:00 e nada das filas e lotação, as dita cujas, não apareceram cedo, foram criadas pelos "atrasados" que chegaram todos em cima da hora - bem parecido com o Imposto de Renda, quando todos lotam a Internet com suas declarações de última hora... Até aquele horário tudo estava como um lindo passeio no Parque.

Quanto a este truck, acho que é um dos mais transados, e obrigatoriamente fica estiloso em Preto e Branco (PB)... Sou meio purista, avesso à Photoshop e manipulações extremas, e esta é uma das minhas favoritas... Agradeço à Fuji que trouxe o glamour do PB para suas câmeras.


Filas? Ainda não, apenas gente se aproximando naquela tarde quente... A foto com lente "fish eye" de 6.5mm (uma das minhas prediletas), mostra o início do movimento naquela tarde de sábado.


Reitero a pergunta, onde estão as filas e mal atendimento? 17:30 aproximadamente e o Truck chezJululi estava calmo, com tempo de sobra para até bater um papo com a galera.


E com o Sol baixando, algumas mesas iam sendo povoadas, o espaço ocupado, o som aumentando e o evento se consolidando.


Outro truck cheio de estilo, o Bar Becool, era ponto obrigatório e desde o início do evento não tinham muito sossego, mas ainda sem filas.


Vista do café: Gente chegando, passando, visitando e escolhendo o prato da tarde.



O som às 18:00 estava bombando, para alguns um pouco alto, e eu concordo... Acho que no horário das danças típicas, ou lá pela noitinha estaria de bom tamanho um som "de boate". Porém no meio da tarde ficou meio excessivo.



Up the Churrasco! Este pessoal trabalhou muito, fiquei com calor só de passar por ali.


E conforme o dia acelerava, os docinhos iam acabando, e a freguesia correndo para o Café lá do outro lado para compensar a doçura toda.


Estão notando a calmaria? Sim, no meio da tarde estava tudo sob controle...


No canto do evento haviam diversos VWs antigos estacionando, adicionando uma grande aura "baby boomer" ao evento, mas aqui em São José, não San Jose na Califórnia. De todo modo muito bacana que a gurizada podia ver o grande estilo dos besourudos.


Podemos novamente citar que os preços não estavam absurdos, em algumas ocasiões eram compatíveis com preços de Shoppings ou Restaurantes, porém temos de ressaltar que a proposta destes Truckers não é o baixo preço e comida de baixa qualidade. Haviam todas as matizes de qualidade e até alguma sofisticação e consequentemente preços mais altos.



Podemos afirmar no entanto que o evento acabou por lotar. Sim, após as 18:30 as filas se acumulavam e os produtos foram praticamente esgotados dali até o final do evento. Pena que tirando o espresso não tive como provar nada - fica para a próxima, ou para convite dos Truckers.

Para concluir, fica a pergunta: o problema de lotação foi devido ao atendimento ou falta de pontualidade? Os preços estavam elevados ou o público esperava serviços de menor qualidade e consequente preço?

É importante refletir que existem todos os públicos para a comida /cozinha de rua eu acho. Porém o lucro é parte do ganha pão destes profissionais, e o preparo de um Truck é para atender um determinado tamanho de clientela ao longo do período... Vamos avaliar se parte da culpa é nossa antes de ir atirando inverdades por aí. Diferentemente do Food Truck na Beira Mar Norte em Floripa, aqui se apresentaram só Trucks.

Valeu o trabalho Truckers, parabéns. Espero ser convidado para as próximas edições de eventos, inclusive para produzir fotos antes e depois dos eventos! Alguns Trucks e suas comidas e bebidas merecem um capítulo à parte aqui na Bebideria. Saúde!
.