quinta-feira

Novidade do Alantejo em nossas Terras


O Real Lavrador traz cor rubi intensa e grande sedosidade, este é o primeiro impacto na taça. No paladar traz gosto muito forte de frutas vermelhas, e taninos bem vivos da madeira. É um vinho de mesa daquela região, corte com predomínio da uva regional Castelão e TA 12,5.

Vale como um vinho para acompanhar carnes vermelhas, massas com molho de carne e imagino que até com pratos de caça. Mas não pensem que é muito adstringente, é na medida certa.

Sai ao redor de R$ 20,00 em Florianópolis.

terça-feira

Um Chileno Explosivo




Durante rápida visita a trabalho ao Chile pude provar um vinho que saia do tradicional Concha y Toro ou Santa Helena que nos é apresentada.

No hotel pedi o Errazuriz, um vinho que trazia um rótulo muito parecido com um Santa Helena... Bem, ocorre que este Chileno não tinha nada a ver com os "planos" Santa Helena ou Concha y Toro citados anteriormente. Este "State Wine", que leva uva de duas localidades distintas, neste caso a região de Maipo e o Aconcagua Valleys, trouxe um espetáculo sensorial.

No visual a cor rubi salta aos olhos, e o buque traz o primeiro contato com frutas vermelhas. Já no paladar, ele compete muito com vinhos dos novos continentes - Austrália e Estados Unidos da América - por ser um vinho frutado, potente e que causa uma explosão de sentidos. Segundo meu ponto de vista se enquadra bem como um vinho "porrada", ou para apreciar durante um evento - antes, durante e depois do jantar.

Este chileno é produzido com Carbernet Sauvignon, safra 2012 com o tradicional 13,5 TA. Vale a pedida aqui em Santiago do Chile, ou onde puderem encontrar.

Mais sobre este vinho, direto com a bodega...

segunda-feira

Uma Irlandesa Azeda



Vamos iniciar a descrição desta cerveja de modo bem independente... Não sei, a Klein Irish Stout é bem complexa gostaria de opinião do leitor.

Apresenta espuma persistente, espessa e com bolinhas pequenas e médias na minoria. No olfato apresenta buque bem azedo, e no paladar amargos tons da torra do malte e novamente a sensação azeda com sem toques adocicados. Algo não estava muito certo.

Bem, troquei de copo, aliás, peguei uma outra taça para experimentar... O buque ficou mais suave pois a espuma estava até o topo, mas momentos depois o "azedo" retornou quando a espuma baixou. No paladar os tons amargos ficaram acima dos tons de café. Não sei, acho que esta cerveja merece um acompanhamento diferenciado, uma carne de panela com molho e muita graxa (gordura) para combinar.

Estou indeciso, esta Klein Irish Stout com TA 5,6% de Campo Largo no Paraná não lembra em nada as clássicas Irish Stout que já bebi, e vocês?